Pular para o conteúdo principal

FALA Varejista! PodCast.Sem44 - "Gestão de Acordos Comerciais"


FALA Varejista!


“Se você não consegue alterar, positivamente, o resultado de um Processo, você não tem controle sobre ele.”

Uma frase bem comum no varejo é: “para vender bem, você precisa comprar bem”... Pura verdade: o Setor de Compras é um dos mais importantes de uma Empresa... Para o sucesso das Vendas o Setor de Compras deve ser encarado como um processo estratégico, mantendo-se alinhado e atualizado com técnicas e tendências da cadeia de suprimentos.

Atualmente, tornou-se popular, o termo, em inglês, “Procurement” (pruh·kyur·muhnt – pronúncia) que podemos traduzir como Gestão de Processos de Compra ou Gestão da Cadeia de Suprimentos ou, melhor ainda, como Gestão de Acordos Comerciais, já que a ideia principal é promover parcerias com os elementos da Cadeia de Suprimentos da Empresa para Comprar bem e Vender bem.

A Gestão de Acordos Comerciais não está restrita ao Setor de Compras, ela engloba vários elementos de uma cadeia de suprimentos, uma vez que através de ações táticas, de diretrizes e normas, essa ferramenta viabiliza melhorias nas relações da Empresa com seus Fornecedores e do Setor de Compras com outros Setores da Empresa, tais como Vendas, Finanças e Logística.

A Gestão de Acordos Comerciais é, na verdade, um amplo processo, dependendo do tamanho da Empresa, que reúne diversas etapas na Cadeia de Suprimentos. Desta forma, a Gestão de Acordos Comerciais pode ser resumida como o “esforço de comprar bem para vender bem”.

Na prática, reúne atividades tais como:
Cotação, Avaliação e Seleção de Fornecedores;
Negociação de Acordos de Fornecimento;
Gestão de Contratos de Fornecimento;
Compra de Produtos e Serviços;
Avaliação de Desempenho dos Fornecedores.

Como podemos ver, a Gestão de Acordos Comerciais vai muito além do Setor de Compras e para desempenhar o seu papel estratégico dentro das Empresas, pode ser resumida em quatro atividades:

1. Pesquisa de Mercado
Para avaliar as melhores opções e tendências que podem trazer melhorias para a Empresa, reunindo as tarefas de cotação, avaliação e seleção de fornecedores qualificados;

2. Controle de Negociações e Acordos
Através de um registro sistemático de todas as Compras, com informações importantes como quantidade, preços e qualidade dos produtos e serviços, para nortear as ações estratégicas da atividade fim da Empresa: Vender bem!

3. Avaliação de Fornecedores
Periodicamente, através de auditorias e análises de resultados para promover melhorias futuras nas Negociações e novos Acordos.

4. Padronização de Processos
Direcionada a promover Efetividade Opercional e Previsibilidade no processo de Abastecimento da Empresa, para ampliar margens de lucro e reduzir custos, por exemplo, com as indessejáveis rupturas (falta de produtos nas prateleiras).

Finalizando, a Gestão de Acordos Comerciais vai da definição dos parâmetros para a relação com os Fornecedores até a Efetividade Operacional da Cadeia de Suprimentos da Empresa.

Na próxima transmissão falaremos sobre Gestão de Estoques. Muito obrigado e até lá! Nos vemos no Portal SOU Varejista! www.souvarejista.com.br

ESCUTE O PODCAST AQUI:

Comentários

Os Mais Lidos Da Semana!

Rally M+is - Transamazônica

"Falar é fácil, quero ver fazer!" Partindo de Cabedelo (PB) Quantas vezes você já ouviu esta frase, todas as vezes que você teve uma ideia inovadora; todas as vezes que você pensou em fazer algo, realmente, inovador, diferente? Quantas vezes diante, da descrença das pessoas, você vacilou e desistiu? Nós não desistimos! Amadurecemos nossa ideia até o ponto de ser colhida, até o ponto ideal para ser colocada em prática, até a hora de Agir! Nossa ideia pode até parecer uma completa loucura, uma insensatez, mas foi pensada e planejada nos seus mínimos detalhes: detalhes Bons e Ruins, Ações e Reações, Atitudes e Consequências, Forças e Fraquezas, Oportunidades e Ameaças, o Que, Onde, Porque, Quem, Como, Quando, Quanto... Planejamento concluído e exaustivamente testado e aprovado chegou a hora da Ação! Sem esquecer que a vida do Empreendedor é (ou, necessariamente, deveria ser) um eterno looping de PDCA: Planejar, Desenvolver, Controlar, Ajustar, Planejar...

FALA Varejista! PodCast.Sem56 - "Marketing de Experiência - Parte 3"

Numa Parceria de Fix Tecnologia, Gustavo Sobreira Advogados Associados, Realiza Business e VTL Marketing e com o Apoio de Casa Primor, JAZAM Alimentos e Rações VittaMax , iniciamos mais uma Transmissão do... FALA Varejista! PodCast Transmissão 56 – “Marketing de Experiência – Parte 3” FALA Varejista! “Existe Marketing de tudo e para tudo porque, como sempre repetimos, tudo é Marketing e Marketing é tudo: simples assim.” Dando continuidade à Série de 5 Semanas falando sobre Marketing de Experiência , nesta terceira transmissão falaremos sobre os 5 Tipos de Experiência . Vamos destacar as características de cada Experiência e contextualizar com um exemplo prático no Ponto de Vendas, para maior clareza da situação. 1. Sentidos Experiências proporcionadas através dos 5 Sentidos , o chamado Marketing Sensorial , são utilizadas desde os primórdios do Varejo. A Experimentação é uma poderosa estratégia de Marketing e Vendas. No Ponto de Vendas, cheirinho de pão fresquinho ou de um cafezi

FALA Varejista! PodCast.Sem54 - "Marketing de Experiência - Parte 1"

Numa Parceria de Gustavo Sobreira Advogados Associados, Realiza Business e VTL Marketing e com Apoio de Casa Primor, JAZAM Alimentos e Rações VittaMax, iniciamos mais uma Transmissão do... FALA Varejista! “Existe Marketing de tudo e para tudo porque, como sempre repetimos, tudo é Marketing e Marketing é tudo: simples assim.” A partir desta transmissão iniciamos a Série de 5 Semanas falando sobre Marketing de Experiência , então sem blá-blá-blá, sem embromation, direto ao ponto, o que é Marketing de Experiência? Certamente vocês já ouviram falar de Marketing Estratégico, Marketing Pessoal, Marketing Político, Marketing de Guerrilha, Marketing Digital, Neuro Marketing, Inbound Marketing, Endo Marketing, VTL Marketing , etc, etc... Misturando tudo isso, passamos pelo Marketing de Relacionamento , para criar um caso de amor com seus Clientes, como dizia Kotler, pelo Marketing Sensorial , para usar todos os sentidos – tato, olfato, visão, audição e paladar – para atrair e reter mais Cl