Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Setembro, 2018

Conflitos Mediados em 5 Passos

Para expandir os negócios, empreendedores precisam considerar todas as  possibilidades de crescimento empresarial. Pensar em uma sociedade é uma  atitude quase natural, afinal, duas (ou mais) cabeças pensam melhor do que  uma. Porém, conviver com o sócio é algo que depende de bastante respeito,  confiança e comprometimento, uma vez que, mais do que um parceiro  profissional, ele precisa ter objetivos alinhados com os seus. 1 - Não confunda relacionamento pessoal com profissional É claro que ajuda se os sócios forem próximos. Mas, isso não significa que  um bom relacionamento se transforme em uma boa sociedade. O  relacionamento dentro de um ambiente de trabalho é bem diferente daquele  em momentos de lazer. Especialmente quando os resultados esperados não  vêm, ou quando a pressão cresce dentro da empresa. Neste cenário, tanto a  relação pessoal quanto a profissional podem ficar comprometidas. Lembre- se de que o relacionamento com um sócio vai além das relações pessoais.

Até que o CNPJ nos separe! (AP-InCo)

Nos meus longos anos de vida profissional, atendendo empresas varejistas, em sua grande maioria empresas familiares, nas quais os sócios são também cônjuges, as oportunidades de encontrar casais que criam negócios estáveis são raras. Se as empresas compostas por conhecidos, parceiros, amigos ou parentes, já são tempestuosas, entre cônjuges, essas tempestades transformam-se em furações Classe 5. A razão dessa gênese é muito simples, ou, pelo menos, deveria ser vista desta forma. Cônjuges são naturalmente seres multifuncionais que, dentro de um relacionamento tido como saudável, se alternam no cumprimento de funções destinadas - do início ao fim - à manutenção do relacionamento. Dos afazeres domésticos aos cuidados com os filhos, quando houver, é preciso, no mínimo, delegar o fazimento de inúmeras tarefas operacionais, gerenciais e estratégicas. É caros amigos, manter o "clima organizacional" do casamento não é uma tarefa fácil. Estabelecer uma "governança" pa

Engajamento uma Ova!!!

Parece coisa do tipo “Teoria da Conspiração”, que está tudo combinado, tudo dominado, quando, de repente, sem mais nem menos, há uma verdadeira avalanche de determinada expressão nos meios de comunicação, com destaque para as Mídias Sociais. A “figurinha carimbada” da vez, da hora, que visualizamos como “selfie” nas Redes Sociais, que “viraliza”, que provoca “buzzz”, que torra a paciência, que enche o... Oops!!! Muita calma nessa hora... Parece que estou exagerando, que estou – no coloquial – radicalizando, mas não estou. Aliás, vamos radicalizar na acepção formal da palavra e buscar a origem, a "raiz" desta “figurinha carimbada”, que, acredito, o leitor já deve ter identificado: o Engajamento!!! Segundo o Dicionário Online Michaelis, o verbo “engajar” tem origem na palavra francesa “engager” e tem os seguintes significados: engajar  en.ga.jar  (fr engager)  1 Contratar para serviço pessoal: Engajar colonos. Engajou-o como vaqueiro. O outr