Pular para o conteúdo principal

Conflitos Mediados em 5 Passos


Para expandir os negócios, empreendedores precisam considerar todas as possibilidades de crescimento empresarial. Pensar em uma sociedade é uma atitude quase natural, afinal, duas (ou mais) cabeças pensam melhor do que uma. Porém, conviver com o sócio é algo que depende de bastante respeito, confiança e comprometimento, uma vez que, mais do que um parceiro profissional, ele precisa ter objetivos alinhados com os seus.

1 - Não confunda relacionamento pessoal com profissional
É claro que ajuda se os sócios forem próximos. Mas, isso não significa que um bom relacionamento se transforme em uma boa sociedade. O relacionamento dentro de um ambiente de trabalho é bem diferente daquele em momentos de lazer. Especialmente quando os resultados esperados não vêm, ou quando a pressão cresce dentro da empresa. Neste cenário, tanto a relação pessoal quanto a profissional podem ficar comprometidas. Lembre-se de que o relacionamento com um sócio vai além das relações pessoais.

2 - Sócios com perfis profissionais complementares
A sociedade ideal é aquela em que cada sócio traz conhecimentos ou recursos que os outros sócios não têm. É preciso que se pense, primeiramente, no que é melhor para a empresa e em quais decisões são favoráveis ao negócio.

3 - Conhecer as limitações do sócio
Em algumas situações, um sócio pode acabar colocando expectativas muito altas sobre o outro, e por consequência, isso pode abalar a relação entre eles. É importante reconhecer que todos nós temos limitações e, nem sempre, conseguimos corresponder ao que é esperado da gente. Acreditar que o futuro do negócio depende exclusivamente do outro sócio é uma armadilha razoavelmente frequente. Independentemente do tipo de negócio, é preciso compreender que o sócio não é super-homem e ele precisa ser respeitado.

4 - Alinhar os objetivos dos sócios
Não só os objetivos entre os sócios precisam estar alinhados, mas também em relação a todos os funcionários da empresa. Por isso, na hora de “escolher” um sócio, analise os objetivos de vida do futuro parceiro profissional. Isso ajuda a definir o perfil de quem pode vir a compartilhar com você o comando da empresa.

5 - Conhecer a capacidade de comunicação do seu sócio
Acima de qualquer coisa, o diálogo precisa ser preservado. Inevitavelmente, os sócios precisam conversar e discutir inúmeras vezes ao dia. O segredo está em saber discutir e discordar de forma respeitosa. Essas são habilidades que precisam ser priorizadas por qualquer sócio, assim como saber ouvir e compreender o ponto de vista do outro.

Está pensando em abrir um negócio em sociedade? Já tem uma sociedade? Então, se o conflito é inevitável, levante a cabeça, adote estes cinco passos e siga em frente!

Ivânia Bezerra
VTL Marketing

Comentários

Os Mais Lidos Da Semana!

Motivação x Entusiasmo

"Nada de grandioso chegou, algum dia, a ser alcançado sem entusiasmo.” [Ralph Waldo Emerson] Mais um Work Shop, mais uma Palestra e a velha questão vem à tona: motivação. O que percebo, é que a grande maioria das pessoas está olhando, diariamente, para os céus à espera de instruções para seguir em frente. Há um verdadeiro eclipse do pensamento. As pessoas simplesmente desistiram de pensar e desta forma se sentem inteiramente perdidas, limitadas a garantir suas subsistências. Por outro lado, sempre que ouço uma solicitação de algum trabalho voltado à motivação do pessoal, fico com as orelhas em pé: quais as verdadeiras razões para a demanda? Há um real desejo de desenvolvimento das pessoas pelas pessoas ou trata-se apenas de uma demanda por mais produtividade? Mas esta é outra história. Inicialmente, vamos entender a diferença entre ‘motivação’ e entusiasmo (automotivação). Conforme sempre falo, a diferença entre motivação e entusiasmo fica explicitada em u

Arista - Até o Fim do Mundo

"Arista - Até o Fim do Mundo" é um Romance-Ficção Científica-Aventura; é, também, uma inquietante tentativa de responder as perguntas sobre as origens do que escrevo: as lembranças que afloram em minha mente e eu não sei precisar se são, realmente, lembranças ou sonhos ou delírios.  "Se os "nomes" ou "fatos", descritos, te fizerem lembrar de um lugar, uma pessoa, uma situação; se você experimentar uma sensação de déjà vu... Tenha certeza: você pode não ser a pessoa que pensa que é... Então, não perca tempo: deixe tudo que estiver fazendo e venha para Colina, Comuna de Sinnamary, Guiana Francesa, para iniciar a busca da sua verdadeira história... Procure-me no Hotel Concorde, Apto 201... Acredito ser Carlos Eduardo Romero" 100,0% dos Royalties deste Produto será destinado às Ações Sociais do i2: instituto integrum que atua na Formação e Qualificação de Operadores e Empreendedores Varejistas e na Promoção da Acessibilidade no Varejo de Produtos e

Bodega High Tech - 01 para 01

Longe se vai os dias de inauguração (1.916) da primeira loja de Auto-Serviço no mundo: a Piggly Wiggly . Mais "recentemente" (1.930) os dias do primeiro Supermercado: o King Kullen . Depois vieram os Hard Discount ( Aldi ), os Category Killers ( Toys ‘U’ Us, Leroy Merlin ), os Hipermercados ( Carrefour ), e finalmente os Warehouse Clubs ( Sams Club, Costco ). Paralelo a esta evolução no formato do varejo, vivenciamos a Evolução do Marketing 1.0 : mercado centrado no Produto, onde prevalecia a máxima de Ford: “Um carro pode ter qualquer cor, desde que seja preto.” - passando pelo Marketing 2.0 : voltado para o Consumidor – para o Marketing 3.0 : voltado para os Valores, cujo objetivo é fazer do mundo um lugar melhor, considerando um mercado de seres humanos com coração, mente e espírito, com uma proposição de valor funcional, emocional e espiritual e, finalmente, pelo menos até o próximo Big Show, chegando, finalmente, ao Marketing 4.0 , a era da Transformação Digital