Pular para o conteúdo principal

A Ilha


No mar do descaso; dos eufemismos conservacionistas; da flexibilidade ética; da diversidade estética, do politicamente correto, próximo ao continente, existe uma ilha: uma ilha de controvérsias e contradições. Escondida por trás de um denso nevoeiro, que esconde sua forma, seu relevo, sua fauna, flora e seus habitantes. Estes, contam as lendas, legítimos descendentes da Esfinge de Gizé, que, em sua homenagem, enfunam em sua bandeira multicolorida o lema: “Decifra-me ou te devoro”.

Aliás, a bandeira multicolorida – tremulando sobre o nevoeiro – é a única parte da ilha que podemos avistar ao longe, de todas as direções. Oscila como um convite ou como um aviso. Contam as lendas que seus habitantes dominam a arte do mimetismo e da transmutação, de tal forma, que todos afirmam, categoricamente, que não existe vida inteligente na ilha. Contam as lendas, que de lá nenhum ser vivente retornou para contar uma história real: sobre a ilha, tudo é lenda!

Preocupado com essa inexistência existente, o Líder da Ilha resolveu mostrar a cara. Apareceu no continente, ninguém sabe como, num belo dia de sol. Era um cidadão comum como esses que se vê na rua – continuando como cantava Belchior - falava de negócios, ria, via show de mulher nua. Era um homem de bons modos: “com licença”; “foi engano”... Como cartão de apresentação o homem entregava aos seus expectadores uma miniatura da ilha esculpida em puro ouro. As pessoas ficavam tão maravilhadas com este presente que sequer olhavam no rosto do Líder dos Ilhéus.

Rapidamente a miniatura virou moeda de troca entre os habitantes do continente: todos queriam tê-la.

O encanto dos habitantes do continente, pelo Líder dos Ilhéus, era tanto que todos procuravam conhece-lo e, freneticamente, desejavam a pequena escultura dourada, que a esta altura já era considerada a imagem do paraíso. Mas havia um problema: ninguém se lembrava do rosto do Líder. Pisar no solo da ilha, ainda, era uma viagem incerta, dizia-se que nem todos seriam aceitos. Viajariam, apenas, aqueles que possuíssem o famoso cartão de visitas, que agora tinha o status de convite. O que as pessoas fariam na ilha, também, era um completo mistério, mas todos afirmavam as maravilhas que seria estar no solo insular. Assim foi organizado um cruzeiro para todos que já possuíam convites.

Da mesma forma que surgiu, o Líder dos Ilhéus sumiu do continente, mas ninguém notou a sua ausência. Estavam todos excitados com a viagem para a ilha. Quem ia estava feliz, quem ficava, por puro desdém, ignorava a viagem e os que iriam viajar, fosse quem fosse. O desinteresse era tanto que no dia da partida não havia expectadores, ninguém estava no cais para trocar um adeus com quem partia. O navio partiu, ninguém soube, ninguém viu. Neste dia, os habitantes do continente já seguiam suas vidas como se nada tivesse acontecido, não havia uma só lembrança do Líder, da miniatura de ouro ou dos que partiram. Aqueles que passavam pelo cais e olhavam para o horizonte, avistavam, como sempre, uma ilha misteriosa e nada mais...
Contam as lendas que a ilha era habitada por estranhos seres extraterrestres, com sérios problemas de memória: felizes, viviam presos no tempo, revivendo, continuamente, o dia em que chegaram na ilha!


[Sousa, Vital. Apensar dos Pensares. Recife, 2.017]

Os Mais Lidos Da Semana!

10 Perguntas Demolidoras (AP-InCo)

Ter uma Excelente ideia não basta. É preciso saber vender o seu peixe, a qualquer momento que seja preciso. Todo Empreendedor tem a obrigação de conhecer o seu Negócio nos mínimos detalhes. Isso é importante para Vender a ideia e para a gestão do negócio. Todo Empreendedor tem a obrigação de responder, e responder certo, estas 10 perguntas sobreo seu Negócio.
A Young Entrepreneur Council fez uma lista com 10 questões que todos os investidores querem saber do dono de um negócio.
Encarar um grupo de investidores é uma tarefa que exige muita preparação do empreendedor. Se ele quiser conquistar aquele aporte ou investimento para sua startup ou empresa, terá de responder com segurança a todas as dúvidas de seus inquisidores.
Não são perguntas fáceis. Qualquer deslize na explicação do negócio ou desconhecimento de algum detalhe da operação pode custar o tão sonhado capital. Para ajudar os empresários nesse momento de tensão, os diretores do Young Entrepreneur Council, uma associação mundial de…

Rally M+is - Transnordestina

O Rally
O Rally M+is em sua IV Edição – Rally M+is – Transnordestina – estará focando suas expertises no Varejo Alimentar: origem da proposta de trabalho da integrum Consultoria. Suas atividades estarão focadas no desenvolvimento / ampliação do relacionamento dentro da Cadeia de Suprimento e Qualificação de Operadores e Varejistas.
O que eu ganho com isso?
De início, a resposta à pergunta que, acreditamos, surgirá no momento inicial de nossa apresentação: do Consumidor à Indústria, os Benefícios Sistêmicos da maior Interação da Cadeia de Suprimento do Varejo Alimentar.
- Consumidores: MELHOR Atendimento, Preço, Qualidade, Variedade e Conforto; - Varejistas: MAIS Qualificação, Vendas, Gestão e Rentabilidade; - Transportadoras: MAIS Embarques, Precisão, Rapidez, Pontualidade e Eficiência; - Distribuidores: MAIS Mix, Giro, Clientes, Rentabilidade e Liquidez; - Indústrias: MAIS Vendas, Previsibilidade e Rentabilidade!
O Roteiro
O Percurso do Rally M+is – Transnordestina é um retorno às origens: queremos…

De Volta ao Futuro! (AP II)

O Reveillon é um momento de luzes e cores: o branco da paz; o amarelo da prosperidade; o azul da harmonia; o verde da saúde; o laranja da vitalidade - esta deveria ser  a minha cor favorita; o vermelho da paixão... Um verdadeiro arco-íris de desejos e felicitações para um ano que se inicia, iluminado pelas luzes dos fogos de artifício e ao som do hit do dia: Vai Malandra!
No meio dessas "ondas" uma foto em preto e branco grita aos quatro ventos e aos quatro cantos da world wide web. Através de um post transversal nas redes sociais, alguém publica uma foto do fotógrafo Lucas Landau, que me conecta, imediatamente, com os versos de um hai kai...
"Pinto meu rosto Para me ver exposto, Sonhar em cores."
... Que, para mim, traduzem o "grito" do menino à beira mar com os olhos refletindo os fogos de artifício. Meu primeiro ímpeto é perguntar, como se ele me escutasse, "Você tem fome de que?"; "Você tem sede de que?" Porque você dá as costas à todas…