Pular para o conteúdo principal

O Legado Paralímpico


Paralímpico ou Paraolímpico? Vamos deixar esta discussão para outra hora... Agora, sem desmerecer nossos “Heróis Olímpicos”, veremos, nos próximos dias, uma Tsunami de medalhas que vai afogar a “marolinha” das 19 medalhas olímpicas. Mas deixando os nobres metais de lado, vamos compreender o que ficará depois que a onda passar.

Pelas contas do IBGE (2.010), o Brasil tem 45 milhões de Pessoas com (Alguma) Deficiência, das quais 13 milhões (Deficiência Moderada à Severa) poderiam classificar-se em alguma modalidade Paralímpica. No período dos Jogos Paralímpicos, todos estarão, quando possível, com os olhos voltados para a Cidade Maravilhosa onde tudo, ou quase tudo estará acessível. Bem, isso é o que veremos na televisão, mas aqui cabe uma pergunta: será esta a realidade das PcDs – Pessoas com Deficiência e das PMRs – Pessoas com Mobilidade Reduzida no Rio de Janeiro e em outras Capitais e Município Brasil afora? Não acredito e recomendo que não acreditem, pois a realidade é bem diferente do que veremos na televisão.

A falta de Acessibilidade é notória e está acima da lei, da LBI – Lei Brasileira de Inclusão (Estatuto da Pessoa com Deficiência) que foi baseada na Convenção da ONU sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência, além de garantir importantes direitos, traz em seu bojo, uma importante inovação na conceituação de deficiência que enfatiza o slogan "Acessibilidade é Responsabilidade de Todos". Para a LBI, a deficiência não é mais compreendida como uma condição estática e biológica da pessoa, mas como resultado da interação das barreiras impostas pelo meio com as limitações de natureza física, mental, intelectual e sensorial do indivíduo.

Assim devemos voltar nossos olhos para as cidades; para as respostas que elas oferecem às PcDs e PMRs e nos perguntarmos se esta realidade é aceitável. Será aceitável negar os direitos básicos, garantidos pela constituição, de milhões de pessoas? Será aceitável considerarmos as barreiras impostas ao usufruto desses direitos, apenas, de 4 em 4 anos por ocasião dos Jogos Paralímpicos? Será aceitável continuarmos a falar de inclusão, em igualdade, enquanto a realidade nos mostra, exatamente, o contrário? Acredito que não. Acredito que bom mesmo seria não precisarmos falar em inclusão e igualdade, que estas condições já fossem inerentes ao nosso meio e a nossa sociedade. Mas esta não é a realidade.

O legado dos Jogos Paralímpicos não serão as medalhas, nem os equipamentos acessíveis que ficarão para uso público, o seu grande legado será a multiplicação do conhecimento sobre a Deficiência, sobre a Diversidade Humana e sobre o que realmente importa: o desempenho, o resultado que cada um pode oferecer para a sociedade independente de sua condição física. Neste ponto vale uma pergunta: quantas pessoas “normais” seriam capazes de fazer o que fazem os atletas “deficientes”? Neste ponto vale a pena lembrar o novo conceito de deficiência da LBI para que possamos, a partir deste ponto, construirmos uma nova realidade, onde seja possível garantir que todos sejam iguais perante as leis e todos os nossos direitos sejam plenamente usufruídos, porque não somos deficientes, “deficientes são as Cidades”... Nós somos todos Diferentes!



Vital Sousa
integrum Consultoria

Os Mais Lidos Da Semana!

FLASH 4.0 - Consultoria Relâmpago

  FLASH 4.0 - Consultoria Relâmpago para deixar a sua Loja pronta para o Novo Normal, com Qualidade, Rentabilidade e Efetividade Operacional. Se você está lendo esta postagem, seguramente compartilhamos da mesma paixão pelo Varejo. Agora, gostaria da sua avaliação para este novo modelo de Consultoria que economiza tempo e dinheiro. Estou falando de uma Auditoria de Qualidade , com o objetivo de Qualificar a(s) sua(s) loja(s) para entregar Excelência no Atendimento à Diversidade de Clientes no Ponto de Vendas . A Auditoria tem 4 Módulos , que, livremente, poderão ser contratados, para atender as suas reais necessidades.   Direto ao ponto, porque tempo é dinheiro, me coloco a sua disposição para esclarecer qualquer dúvida sobre a Proposta, para entregarmos, com segurança, um Serviço de Valor e Qualidade Diferencial , compatível com o caráter e a cultura de nossas Empres O Flash 4.0 é uma Auditoria de Qualidade ; uma “tomografia” do Ponto de Vendas para corrigir defeitos e qual

FALA Varejista! PodCast.Sem56 - "Marketing de Experiência - Parte 3"

Numa Parceria de Fix Tecnologia, Gustavo Sobreira Advogados Associados, Realiza Business e VTL Marketing e com o Apoio de Casa Primor, JAZAM Alimentos e Rações VittaMax , iniciamos mais uma Transmissão do... FALA Varejista! PodCast Transmissão 56 – “Marketing de Experiência – Parte 3” FALA Varejista! “Existe Marketing de tudo e para tudo porque, como sempre repetimos, tudo é Marketing e Marketing é tudo: simples assim.” Dando continuidade à Série de 5 Semanas falando sobre Marketing de Experiência , nesta terceira transmissão falaremos sobre os 5 Tipos de Experiência . Vamos destacar as características de cada Experiência e contextualizar com um exemplo prático no Ponto de Vendas, para maior clareza da situação. 1. Sentidos Experiências proporcionadas através dos 5 Sentidos , o chamado Marketing Sensorial , são utilizadas desde os primórdios do Varejo. A Experimentação é uma poderosa estratégia de Marketing e Vendas. No Ponto de Vendas, cheirinho de pão fresquinho ou de um cafezi

Rally M+is - Transamazônica

"Falar é fácil, quero ver fazer!" Partindo de Cabedelo (PB) Quantas vezes você já ouviu esta frase, todas as vezes que você teve uma ideia inovadora; todas as vezes que você pensou em fazer algo, realmente, inovador, diferente? Quantas vezes diante, da descrença das pessoas, você vacilou e desistiu? Nós não desistimos! Amadurecemos nossa ideia até o ponto de ser colhida, até o ponto ideal para ser colocada em prática, até a hora de Agir! Nossa ideia pode até parecer uma completa loucura, uma insensatez, mas foi pensada e planejada nos seus mínimos detalhes: detalhes Bons e Ruins, Ações e Reações, Atitudes e Consequências, Forças e Fraquezas, Oportunidades e Ameaças, o Que, Onde, Porque, Quem, Como, Quando, Quanto... Planejamento concluído e exaustivamente testado e aprovado chegou a hora da Ação! Sem esquecer que a vida do Empreendedor é (ou, necessariamente, deveria ser) um eterno looping de PDCA: Planejar, Desenvolver, Controlar, Ajustar, Planejar...