Pular para o conteúdo principal

Motivação: Vide Bula!


Ouro, prata ou bronze? Não importa a cor do metal dos sonhos conquistado em rompantes de força, coragem, determinação, superação e, necessariamente, motivação. Em 17 dias de Olimpíadas tivemos de tudo um pouco. Domesticamente o Brasil ultrapassou o número de medalhas conquistadas na Olimpíada anterior (Londres, 2.012). No Placar, a marfa de 16 à 19. Mas o que aconteceria com esta marca sem as medalhas dos “desconhecidos”? Se considerarmos, apenas, o Cara da Canoa, daria um empate de 16 à 16. Mas temos, ainda, o Cara do Boxe; a Mina da Maratona Aquática, o Cara do Tiro, o Cara do Salto com Vara, o Cara do Taekwondo... Bem, assim já seria uma derrota pelo placar de 16 à 11. 

Foi o Cara do Taekwondo, mais precisamente o0 seu discurso, que me chamou a atenção para um fenômeno destas Olimpíadas: a proliferação do profissional que cuida das “cabeças” dos atletas. Psicólogo, Personal Coach, Life Coach, Coach Esportivo, etc, etc... Seja lá com qual denominação, muitos foram apresentados à “Mídia” e vaticinaram os seus “milagres”. Não lembro outras Olimpíadas com tantos “desajustados emocionais”. Das lágrimas copiosas aos discursos raivosos, também, tivemos de tudo, mas, principalmente, tivemos em grande número, de perdedores e medalhistas, os discursos “formatados”, cheios de “lugares comuns” e “slogans motivacionais”. Bastava ouvir o atleta para saber que por trás do seu discurso havia uma “Coach de Cabeça”. Como se ganhar ou perder não fosse a coisa mais natural do mundo no esporte, havia em cada disputa a esperança de algo impossível: dois vencedores. 

Talvez por estarmos disputando medalhas “em casa”, houvesse uma maior pressão para vencer e a necessidade de justificar, de forma consistente, as derrotas. Assim os atletas foram para o infortúnio catastrófico e avassalador da perda de qualquer etapa da disputa por uma medalha. 

Não quero fazer julgamento de valores nem desmerecer o trabalho desses profissionais que cuidaram das “cabeças” de nossos atletas, mas penso que em lugar da “bula motivacional”, do vocabulário “padronizado” e do discurso “formatado”, nossos atletas deveriam ter colocado na bagagem suas próprias “histórias” e trajetórias, além, claro, de todo aprendizado em suas respectivas modalidades. 

Ninguém, ninguém mesmo, gosta de perder, mas perder “faz parte” do jogo e ter consciência deste fato poder fazer a diferença no tão falado “psicológico” dos atletas e isso não se aprende de um dia para o outro. Sim, acredito que poder ser aprendido, mas tenho quase certeza que é uma condição natural de pessoas resilientes. Esta é uma condição rara, por isso são poucos os vencedores e muitos os vencidos e em maior número os perdedores. Para os que estão perdendo o sono com isso, deixo um “lugar comum”: “aceita que dói menos”. 

Moral da historia: a motivação que vem de fora é só mais um detalhe na preparação dos atletas ou de qualquer outro profissional. O que faz a diferença entre as cores das medalhas; entre vencedores e perdedores é a “chama” que está dentro de cada atleta, de cada um de nós. Chamem como quiser: garra, gana, força, raiva, explosão, superação, motivação... A verdadeira motivação que não se lê em bulas. 


Vital Sousa 
integrum Consultoria 

Os Mais Lidos Da Semana!

Motivação x Entusiasmo

"Nada de grandioso chegou, algum dia, a ser alcançado sem entusiasmo.” [Ralph Waldo Emerson] Mais um Work Shop, mais uma Palestra e a velha questão vem à tona: motivação. O que percebo, é que a grande maioria das pessoas está olhando, diariamente, para os céus à espera de instruções para seguir em frente. Há um verdadeiro eclipse do pensamento. As pessoas simplesmente desistiram de pensar e desta forma se sentem inteiramente perdidas, limitadas a garantir suas subsistências. Por outro lado, sempre que ouço uma solicitação de algum trabalho voltado à motivação do pessoal, fico com as orelhas em pé: quais as verdadeiras razões para a demanda? Há um real desejo de desenvolvimento das pessoas pelas pessoas ou trata-se apenas de uma demanda por mais produtividade? Mas esta é outra história. Inicialmente, vamos entender a diferença entre ‘motivação’ e entusiasmo (automotivação). Conforme sempre falo, a diferença entre motivação e entusiasmo fica explicitada em u

Vendor PhD: a Solução para Tudo!!!

ATENÇÃO!!! Tudo que você precisa saber sobre o Processo de Vendas 3-D, está nas três linhas abaixo... Vá para o final do texto e Conheça COMO nós vamos RECONSTRUIR suas Habilidades Técnicas e Interpessoais (Soft + Hard Skills), sem blá-blá-blá, nem mi-mi-mi e muito menos embromation: teorias miraculosas e fórmulas secretas!!! A formulação do Processo de Vendas 3-D possibilita uma abordagem única, a cada interação Vendedor PhD <-> Cliente, Diariamente, Demonstrável e Diferente. Agora, vá para a marcação abaixo: =====> Mas, se preferir conhecer todos os detalhes do que veremos nos 4 (quatro) dias do "Programa VENDOR PhD" , aguce os sentidos e tenha uma excelente leitura!!! Segundo Kotler, Marketing é entender e atender os Clientes. Vamos ampliar este conceito para incluir um elemento essencial: a necessidade. Temos, então, que Marketing é entender e atender as necessidades dos Clientes. Mas isso, ainda, é insuficiente para delimitar a comp

TRABALHE CONOSCO: Consultor(a) Gestão de Pessoas

CONSULTOR(A) DE GESTÃO DE PESSOAS (LIBERAL / CNPJ / MEI) Para compor Equipe de Plataforma Omnicanal de Desenvolvimento Humano Organizacional , buscamos profissionais com Graduação em Psicologia e/ou Administração , com necessária Especialização em Gestão de Pessoas e/ou Psicologia Organizacional ; sólida Experiência em Operação de Varejo e/ou Desenvolvimento Humano Organizacional.  O Profissional será co-responsável pelo desenvolvimento e aplicação de Cursos, Palestras e Oficinas, além de atuar com Mentoria e Assessoria aos Clientes e Usuários dos Serviços de Treinamento, Desenvolvimento Humano e Recrutamento & Seleção .  Oferecemos Excelente Ambiente de Trabalho, Remuneração por Projetos (+Honorários +Comissões +Participação nos Lucros), além de possibilidade de Sociedade.  Perfil Empreendedor; Fã / Praticante de Rally; Espírito de Aventura e Disponibilidade para viagens de média (semanas / meses) duração no Norte / Nordeste são diferenciais que completam o Perfil dos Pro