Pular para o conteúdo principal

Pontos Fortes, Pontos Fracos: diga a Verdade!!!

Você está numa Entrevista de Emprego e chega a hora de falar sobre suas Fraquezas, suas Debilidades, Pontos Francos em sua Formação Acadêmica, Trajetória Profissional... E Agora?

Como falar de seus pontos fracos numa entrevista de emprego?

Recomendo uma única postura nesse momento: fale a verdade!!!


Não é uma questão de arrogância. Muitos candidatos acham difícil falar sobre seus pontos fracos numa entrevista de emprego simplesmente porque não têm autoconhecimento suficiente.

Na opinião de Claudia Troca, gerente da consultoria Robert Half, ficar em silêncio ou mencionar qualidades disfarçadas de defeitos - como se o único problema fosse ser dedicado demais ao trabalho, por exemplo - não significa que você seja cego às suas próprias limitações.

“Se a pessoa hesita ou precisa recorrer a clichês, o que nos mostra é que não sabe muito sobre si mesma”, afirma ela. “Perfeccionista” e “workaholic", aliás, são palavras que a recrutadora mais ouve da boca dos candidatos. 

De acordo com Ricardo Rocha, gerente executivo da consultoria Michael Page, muitos candidatos dão respostas vagas ou superficiais porque vão para a entrevista sem se preparar para a famigerada pergunta.

Para falar das suas fraquezas com exatidão e propriedade, explica ele, é preciso fazer previamente um exercício de autoanálise. Colher e analisar feedbacks de colegas e chefes também é indispensável.

“A pergunta serve não apenas para realmente saber quais são os seus pontos negativos, mas também para testar o seu nível de autoconhecimento”, diz Ricardo. “Mostrar que você pesquisou e refletiu sobre as suas próprias falhas é muito importante”.

Diga tudo
Mas será que sinceridade total é uma boa ideia? Para Claudia, a resposta é sim. Colocar todas as cartas na mesa, diz ela, é a opção mais honesta e produtiva para ambas as partes.

Se você omite a sua dificuldade para gerir pessoas, por exemplo, esse problema aparecerá em algum momento depois que você for contratado. Qualquer falsa expectativa criada na entrevista acaba cobrando seu preço mais tarde.

Ainda assim, observa Ricardo, um filtro é necessário: o contexto. “Não cabe falar de defeitos de ordem pessoal ou citar a falta de uma qualificação que não é exigida para a vaga”, afirma.

Próximos passos
Os recrutadores também consideram essencial que o candidato não apenas mencione e descreva suas fraquezas, mas também diga o que está fazendo para saná-las.

O ideal é falar sobre o histórico da questão: como e quando ela foi observada, quais foram os feedbacks que você recebeu a respeito dela, bem como momentos em que você conseguiu superá-la na prática.

Segundo Ricardo, o candidato deve mostrar a evolução de seus pontos fracos, com destaque para as providências que já tomou - e ainda vai tomar - para reagir ao problema. 

Se você não tem uma determinada competência técnica relevante para a empresa, por exemplo, pode mencionar que pretende se matricular num curso sobre o assunto, diz o gerente da Michael Page.

Para Claudia, o mais importante é demonstrar disposição para se aperfeiçoar. “O candidato ideal sabe muito bem quais são os seus pontos negativos e já tem um plano de ação para contorná-los”, afirma.



Vital Sousa
integrum Consultoria

Os Mais Lidos Da Semana!

O Fator "Stoic Mujic"

Há um conselho que escuto e sigo, há pelo menos 10 anos, para reafirmar minha Determinação. Conselho, de um certo "Anjo João", que ecoa em minha mente, sempre que alguma dificuldade surge no horizonte: "Levanta a cabeça e segue em frente"... - Valeu João!!! “Enquanto se descansa, se carrega pedras”: este provérbio português é o tipo de frase feita que não sai da boca de um grupo de pessoas, entre as quais me incluo: os obstinados pelo que fazem, pelo trabalho. Estas pessoas são do tipo que nunca “desligam”. Não importa onde estejam, o que estejam fazendo; eles estão sempre “ligados”. Numa sessão de vídeo caseira, com pipoca e guaraná, não seria diferente. Na última, da qual participei, vimos o filme “A Ponte dos Espiões” . “Bridge of Spies” em Inglês. Embora eu prefira, por razões que o leitor poderá ver no filme, o título em Alemão: “Der Unterhändler” que em língua tupiniquim que dizer “O Negociador”. É um excelente filme para ser usado em treinamentos sobre Nego

O Líder Situacional Sistêmico

Todos querem Comprometimento , todos querem Engajamento , todos querem colaboradores Motivados , todos querem Equipes de Alto Rendimento ... Mas, quantos se preocupam, verdadeiramente, com as Condições de Trabalho, com o Clima Organizacional, com as Pessoas Certas nos Lugares Certos, com Pessoas que pensam em Pessoas?  Acredito que os Resultados tenham a prioridade nesta lista de situações. Resultados como Objetivo e não como Consequência de um trabalho bem feito. Resultados pelos Resultados: simples assim. Não sou contra os Resultados, nem contra os que os buscam determinadamente, afinal eu estou entre eles. O Lucro não é um "Pecado". Mas, lembrando de um lugar comum, o único lugar em que o Resultado vem antes do Trabalho é no Dicionário. Se você quer Comprometimento, Engajamento, Motivação e uma Equipe de Alto Rendimento , "fora da curva", aprenda a Liderar. Aprenda a conviver com a Liderança Situacional Sistêmica . " Com talento, ganhamos partidas. Com &

FALA Varejista! PodCast.Sem60 - "Abismo Tecnológico - Parte 2"

Numa Parceria de Fix Tecnologia, Gustavo Sobreira Advogados Associados, Realiza Business e VTL Marketing e com o Apoio de Casa Primor, JAZAM Alimentos e Rações VittaMax, iniciamos mais uma Transmissão do... FALA Varejista! “Não invista em Transformação Digital se a sua Mentalidade é Analógica” Na transmissão anterior, para comprovar que “de perto todo mundo é feio”, relacionamos algumas práticas danosas, largamente utilizadas, que estão jogando as Empresas no “Abismo Tecnológico” , apoiadas em inteligentes desculpas, que, tenho certeza, quem estiver escutando esta transmissão conhece muito bem. ERP (Sistema de Gestão), apenas, para "passar mercadoria no caixa"; Compras por "Listas Manuais de Cotação"; Cadastro de Produtos "Comprado"; Estoques "Negativos" no Controle de Estoque; Gestão Financeira “na ponta do lápis”... Então, sem mais desculpas, vamos colocar os pingos nos i’s de cada uma dessas práticas danosas... ERP (Sistema de Gestão), apen