Pular para o conteúdo principal

A Pirâmide do Consumo



Há alguns anos a Classe C, a chamada "Cezona" está na berlinda do Consumo. A evolução do poder aquisitivo dos brasileiros - via ascensão social ou pedalada fiscal - desenha uma nova realidade e projeta um futuro, digamos, quadrado. A pirâmide econômica contava com 40% dos brasileiros enquadrados na classe média em 2004. Uma década depois o número passou para 56%. Em 2024 serão 58. A Tradicional figura da Pirâmide Social está se transformando em um Losango Social.

Mesmo com o momento de desaceleração econômica, a classe média deverá manter o consumo em torno de R$ 1,35 trilhão este ano. Para não parar de comprar, esses consumidores tentarão administrar custos. A previsão é que muitos façam planejamento na hora de pagar as contas para manter hábitos de consumo.

É o que indica estudo da consultoria Data Popular, que aponta questões como entender e conseguir oferecer produtos e condições de compra para a nova classe média como o grande diferencial para as empresas continuarem a crescer em meio à situação de menor consumo.

Segundo o presidente da entidade, Renato Meirelles, pesquisa realizada pelo instituto aponta que 19% da população mundial vive atualmente com renda per capita de R$ 1.184,00, valor que é a nova classe média detém.

Pirâmide

Meirelles destacou ainda que nos últimos dez anos, a população do País cresceu de baixo para cima, ou seja, passou em 2004 de cerca de 40% dos brasileiros na classe média, para em 2014 representar 56%. Na próxima década, ou seja, em 2024, a expectativa é esse perfil seja 58% no País.


O maior desafio apontado por Meirelles é que o empresário entenda que este perfil de consumidor tem padrões de consumo e preferências diferentes da classe A e B. “Vocês já se perguntaram por qual motivo em bairros da periferia da cidade existe uma procura alta por produtos premium? Porque as pessoas que aumentaram o poder de consumo não têm a necessidade de sair dos seus bairros?”, questionou.

Para reforçar ainda mais o poder de consumo desta classe, Meirelles destacou que 52% das pessoas da classe C possuem conta em banco e 65% possuem cartão de crédito. No entanto, esta classe média possui pouco conhecimento e teve pouco acesso a educação financeira, pelo menos 32% deles acreditam que pagar o valor mínimo do cartão de crédito não paga juros, por exemplo. Ainda segundo a pesquisa, 89% dos entrevistados assume que está mais exigente em relação aos serviços oferecidos.

Inflação

Relembrar os difíceis momentos que o País vivenciou na economia com momentos de alta da taxa de inflação, há alguns anos, pode fazer o empresário entender que o Brasil já enfrentou situações muito mais complexas que esta, afirmou ele, “Este não é o pior momento que o comércio passa. E esses consumidores possuem um perfil mais resiliente, de pessoas acostumadas a passarem por situações de crise.”

Outro nicho com potencial de consumo são 12,3 milhões de pessoas que moram em favelas no País. “Se fossem reunidas em um estado, ele seria o quinto maior. Estes moradores irão movimentar R$ 68,5 bilhões em 2015, frente a R$ 43 bilhões do ano anterior. O poder de consumo é maior que 15 estados brasileiros, como o Espírito Santo, por exemplo.”

Sobre a confiança do consumidor da classe média em relação a situação do salários, apenas 9% acreditam que os salários irão aumentar, 37% dizem que o salários devem crescer abaixo da inflação e 53% não tem expectativas que o salários irão aumentar. No entanto, em contra partida, 62% afirmam que a sua vida pessoal irá melhorar. “É importante ressaltar que a nova classe econômica investe em formas para gerar mais renda e não deposita confiança apenas nas ações do governo, mas em sua própria força de trabalho. Afinal, 45% desses consumidores têm renda extra, além do seu salário”, finalizou Meirelles.

Diante deste cenário, a atualização dos parâmetros de atendimento torna-se uma questão de sobrevivência. A Adoção de Instrumentos de Gestão baseados na Tecnologia da Informação é imprescindível para manter-se no mercado de forma competitiva e sustentável.

Fonte: DCI


Vital Sousa
integrum Consultoria

Os Mais Lidos Da Semana!

FLASH 4.0 - Consultoria Relâmpago

  FLASH 4.0 - Consultoria Relâmpago para deixar a sua Loja pronta para o Novo Normal, com Qualidade, Rentabilidade e Efetividade Operacional. Se você está lendo esta postagem, seguramente compartilhamos da mesma paixão pelo Varejo. Agora, gostaria da sua avaliação para este novo modelo de Consultoria que economiza tempo e dinheiro. Estou falando de uma Auditoria de Qualidade , com o objetivo de Qualificar a(s) sua(s) loja(s) para entregar Excelência no Atendimento à Diversidade de Clientes no Ponto de Vendas . A Auditoria tem 4 Módulos , que, livremente, poderão ser contratados, para atender as suas reais necessidades.   Direto ao ponto, porque tempo é dinheiro, me coloco a sua disposição para esclarecer qualquer dúvida sobre a Proposta, para entregarmos, com segurança, um Serviço de Valor e Qualidade Diferencial , compatível com o caráter e a cultura de nossas Empres O Flash 4.0 é uma Auditoria de Qualidade ; uma “tomografia” do Ponto de Vendas para corrigir defeitos e qual

FALA Varejista! PodCast.Sem56 - "Marketing de Experiência - Parte 3"

Numa Parceria de Fix Tecnologia, Gustavo Sobreira Advogados Associados, Realiza Business e VTL Marketing e com o Apoio de Casa Primor, JAZAM Alimentos e Rações VittaMax , iniciamos mais uma Transmissão do... FALA Varejista! PodCast Transmissão 56 – “Marketing de Experiência – Parte 3” FALA Varejista! “Existe Marketing de tudo e para tudo porque, como sempre repetimos, tudo é Marketing e Marketing é tudo: simples assim.” Dando continuidade à Série de 5 Semanas falando sobre Marketing de Experiência , nesta terceira transmissão falaremos sobre os 5 Tipos de Experiência . Vamos destacar as características de cada Experiência e contextualizar com um exemplo prático no Ponto de Vendas, para maior clareza da situação. 1. Sentidos Experiências proporcionadas através dos 5 Sentidos , o chamado Marketing Sensorial , são utilizadas desde os primórdios do Varejo. A Experimentação é uma poderosa estratégia de Marketing e Vendas. No Ponto de Vendas, cheirinho de pão fresquinho ou de um cafezi

Rally M+is - Transamazônica

"Falar é fácil, quero ver fazer!" Partindo de Cabedelo (PB) Quantas vezes você já ouviu esta frase, todas as vezes que você teve uma ideia inovadora; todas as vezes que você pensou em fazer algo, realmente, inovador, diferente? Quantas vezes diante, da descrença das pessoas, você vacilou e desistiu? Nós não desistimos! Amadurecemos nossa ideia até o ponto de ser colhida, até o ponto ideal para ser colocada em prática, até a hora de Agir! Nossa ideia pode até parecer uma completa loucura, uma insensatez, mas foi pensada e planejada nos seus mínimos detalhes: detalhes Bons e Ruins, Ações e Reações, Atitudes e Consequências, Forças e Fraquezas, Oportunidades e Ameaças, o Que, Onde, Porque, Quem, Como, Quando, Quanto... Planejamento concluído e exaustivamente testado e aprovado chegou a hora da Ação! Sem esquecer que a vida do Empreendedor é (ou, necessariamente, deveria ser) um eterno looping de PDCA: Planejar, Desenvolver, Controlar, Ajustar, Planejar...