Pular para o conteúdo principal

Viajando com o Inimigo


“Quando vires um homem bom
Tenta imitá-lo; quando vires um
homem mau, examina-te a ti mesmo.”
[Confúcio]


Desde o início do planejamento para o Rally M+is – Transamazônica, a ideia de viajar de carona me pareceu uma solução óbvia para reduzir os custos da viagem, da mesma forma que eram óbvias as implicações e risco “bilateral”. Certamente eu não ia contar com algum aplicativo de caronas ou mesmo uma central de informações ou, ainda, agenciamento das disponibilidades desta modalidade de transporte alternativo.

Dar carona é um ato de fé; de crença na bondade do ser humano. É, sem sombra de dúvida, uma entrega de confiança mútua: os riscos estão dos dois lados da boleia. Tenho plena consciência disso pois sempre fui adepto da carona: sempre dei ou peguei carona desde a época de adolescente. Outro fator que sempre tive consciência era do fato de que se de um lado existe a solidariedade, do outro lado existe a desconfiança e a falsa percepção de que todo carona é um marginal. Neste aspecto, qualquer pessoa que se aventure nas estradas a pedir carona é, imediatamente, equiparada a ladrões e prostitutas, para dizer o mínimo.

Assim, no “trecho”, para usar uma expressão da estrada, não há porque estranhar ou sentir-se indignado quando alguém te olha de forma estranha ou desconfiada ou até mesmo coloca em palavras suas suspeitas. Hão há o que reclamar; não há o que ofender-se. Muito pelo contrário, neste caso, reafirmo minhas convicções sobre o sistema de transporte e a responsabilidade bilateral, afinal, as duas partes colocam suas vidas nas mãos um do outro.

No outro lado da moeda está o risco do álcool e das drogas consumidas em larga escala por boa parte dos caminhoneiros. Não é difícil encontrar profissionais do volante visivelmente embriagados ou drogados segurando um volante: aqui o risco é do carona.

Há inimigos dos dois lados da boleia, felizmente eu só encontrei profissionais de verdade, caminhoneiros que se orgulham da sua profissão e não se “sujam” por qualquer besteira. Caminhoneiros a quem posso, sem reservas, chamar de irmãos. Pelas histórias de cada um deles; pela curta parceria nos trechos viajados; pela contribuição ao nosso projeto; valeu a pena a nossa homenagem a um caminhoneiro chamado João. Neste caso, é pertinente a lembrança de um de suas frases prediletas: “Prudência e papa de aveia nunca fizeram mal a ninguém”. Então, a entrega fica para os dois lados da boleia e vamos em frente!



[Sousa, Vital. Empreendimento Sem Fim. Recife, 2015]

Os Mais Lidos Da Semana!

Motivação x Entusiasmo

"Nada de grandioso chegou, algum dia, a ser alcançado sem entusiasmo.” [Ralph Waldo Emerson] Mais um Work Shop, mais uma Palestra e a velha questão vem à tona: motivação. O que percebo, é que a grande maioria das pessoas está olhando, diariamente, para os céus à espera de instruções para seguir em frente. Há um verdadeiro eclipse do pensamento. As pessoas simplesmente desistiram de pensar e desta forma se sentem inteiramente perdidas, limitadas a garantir suas subsistências. Por outro lado, sempre que ouço uma solicitação de algum trabalho voltado à motivação do pessoal, fico com as orelhas em pé: quais as verdadeiras razões para a demanda? Há um real desejo de desenvolvimento das pessoas pelas pessoas ou trata-se apenas de uma demanda por mais produtividade? Mas esta é outra história. Inicialmente, vamos entender a diferença entre ‘motivação’ e entusiasmo (automotivação). Conforme sempre falo, a diferença entre motivação e entusiasmo fica explicitada em u

Arista - Até o Fim do Mundo

"Arista - Até o Fim do Mundo" é um Romance-Ficção Científica-Aventura; é, também, uma inquietante tentativa de responder as perguntas sobre as origens do que escrevo: as lembranças que afloram em minha mente e eu não sei precisar se são, realmente, lembranças ou sonhos ou delírios.  "Se os "nomes" ou "fatos", descritos, te fizerem lembrar de um lugar, uma pessoa, uma situação; se você experimentar uma sensação de déjà vu... Tenha certeza: você pode não ser a pessoa que pensa que é... Então, não perca tempo: deixe tudo que estiver fazendo e venha para Colina, Comuna de Sinnamary, Guiana Francesa, para iniciar a busca da sua verdadeira história... Procure-me no Hotel Concorde, Apto 201... Acredito ser Carlos Eduardo Romero" 100,0% dos Royalties deste Produto será destinado às Ações Sociais do i2: instituto integrum que atua na Formação e Qualificação de Operadores e Empreendedores Varejistas e na Promoção da Acessibilidade no Varejo de Produtos e

Rally M+is - Transamazônica

"Falar é fácil, quero ver fazer!" Partindo de Cabedelo (PB) Quantas vezes você já ouviu esta frase, todas as vezes que você teve uma ideia inovadora; todas as vezes que você pensou em fazer algo, realmente, inovador, diferente? Quantas vezes diante, da descrença das pessoas, você vacilou e desistiu? Nós não desistimos! Amadurecemos nossa ideia até o ponto de ser colhida, até o ponto ideal para ser colocada em prática, até a hora de Agir! Nossa ideia pode até parecer uma completa loucura, uma insensatez, mas foi pensada e planejada nos seus mínimos detalhes: detalhes Bons e Ruins, Ações e Reações, Atitudes e Consequências, Forças e Fraquezas, Oportunidades e Ameaças, o Que, Onde, Porque, Quem, Como, Quando, Quanto... Planejamento concluído e exaustivamente testado e aprovado chegou a hora da Ação! Sem esquecer que a vida do Empreendedor é (ou, necessariamente, deveria ser) um eterno looping de PDCA: Planejar, Desenvolver, Controlar, Ajustar, Planejar...