Pular para o conteúdo principal

Quixotes



“Triunfam aqueles que sabem
quando lutar e quando esperar.”
[Sun Tzu]


- Devemos escolher nossas lutas, por uma batalha, nos quedarmos vencidos, enquanto reorganizamos nossas forças para uma nova carga?

- Sim, sim... Dez mil vezes sim!

A única luta da qual não podemos e não devemos fugir, é a luta contra nós mesmos: contra o Golias que há em cada um de nós, escondido atrás das desculpas, dos eufemismos, dos paradigmas, das falsas percepções e convicções. Das armadilhas que construímos para justificar nossa impotência diante dos obstáculos. Nosso “batismo de fogo” sempre será, independente de que momento nas nossas vidas: infância, juventude, maturidade, contra a ignorância do Golias que habita em nós. A exata percepção de quem somos, nossa autocrítica realista, nos dará a exata medida para avaliarmos quem estará ao nosso lado em todas as lutas e permitirá que não sejamos eleitos, apenas, por sabermos manejar uma “funda”.

- Sim, devemos escolher as nossas lutas, nossas armas e nossos “Sanchos”: nossa consciência. Consciência, não no sentido da separação moral do que é certo ou errado, não no sentido do conjunto de valores que definem nossos julgamentos, ações ou intenções, mas no sentido de estar desperto, em pleno domínio da caracterização precisa, do pensamento lógico e do comportamento coerente. O despertar de todos os sentidos e da ignorância de nossas falsas percepções nos colocam além dos nossos “moinhos de vento”;

- Sim, devemos escolher as nossas lutas, nossos campos de batalha, nossos inimigos: nossa “caravana” deve seguir além das matilhas. Não há uma única razão aceitável para nos determos e escutar a turba ladina que de um lado vocifera provocações e de outro tece uma rede de falsos elogios. Despertar. Mirar os olhos no horizonte e seguir em frente! Buscar a nossa Visão: nossa “Dulcinéia”;

- Sim, devemos escolher nossas lutas, a hora de lutar e, principalmente, quem somos e seremos depois das batalhas. Não importa quanto tempo durar o nosso despertar; não importa como somos percebidos pelos nossos inimigos; não importa o resultado de nossas escolhas: devemos somá-las à nossa formação. O “Eu Desperto” não é uma soma de erros e derrotas, mas de aprendizados;

- Sim, devemos escolher todas as nossas lutas, por todos os sins, por todos os nãos, por sabermos que não somos “cavalheiros errantes”: conhecemos nosso caminho; nossos objetivos e, acima de todas as lutas, quem somos. Assim, venceremos dez mil batalhas.

“Se você conhece o inimigo e conhece a si mesmo, não precisa temer o resultado de cem batalhas. Se você se conhece mas não conhece o inimigo, para cada vitória ganha sofrerá também uma derrota. Se você não conhece nem o inimigo nem a si mesmo, perderá todas as batalhas.”
[Sun Tzu]



[Sousa, Vital. Empreendimento Sem Fim. Recife, 2015] 

Os Mais Lidos Da Semana!

A Cartilha do ABC

Há alguns dias li uma notícia, num site sobre empreendedorismo, que uma empreendedora havia alcançado sucesso em seu negócio com uma inovação: ela estava produzindo sapatos ao gosto do Cliente, isto é: customizados ou personalizados ou, ainda, taylor made – sob medida.
- Como é que é?! Inovação!? Mas quando!?
Sou do tempo que sapatos, roupas, chapéus, joias e outros acessórios e adornos eram confeccionados sob medida e encomenda dos Clientes, então, para mim, esta empreendedora não está inovando: está fazendo o que é bastante comum no mundo da moda: voltando ao passado; fazendo uma releitura de um processo de produção. Não vou me aprofundar neste “revival” calçadista, porque a leitura da noticia me inspirou a fazer minha própria “inovação”: uma Cartilha do ABC para ensinar empreendedores e varejistas o “bê-a-bá” da Gestão de Estoques, Vendas Clientes, Cobrança, Capital de Giro e o fundamental Fluxo de Caixa. A Cartilha do ABC é uma ferramenta gerencial que serve para isso e muito mais.
C…

O Sorriso do Coringa

Lá pela segunda metade dos anos 80, depois de um “papo cabeça” com um psicanalista, passei de “Yuppie Carrancudo” para “Grunge Sorridente”. Os colegas diriam que por culpa da crise dos trinta, eu, melhor dizendo, diria que "graças" à crise dos trinta. Aceitei o conselho do profissional recomendado para acompanhar algumas mudanças na vida pessoal e profissional. Na época o termo ainda não virara moda, mas passei por um processo de Coaching de Carreira. O conselho, segundo o profissional, deveria resolver metade dos meus problemas... WOW!!! Um conselho bastante tentador, impossível de não ser acatado, pelos resultados prometidos e também pela simplicidade:

- Sorria. Metade dos seus problemas vão sumir... Sorria!!!
À primeira vista o conselho era muito fácil de ser seguido, afinal quem não sabe sorrir, sorrir é algo natural, sorrir é o melhor remédio para tudo... Porque eu não havia pensado nisso antes? Precisei gastar uma grana preta para descobrir o óbvio? Ao invés de ficar zan…

10 Perguntas Demolidoras

Ter uma Excelente ideia não basta. É preciso saber vender o seu peixe, a qualquer momento que seja preciso. Todo Empreendedor tem a obrigação de conhecer o seu Negócio nos mínimos detalhes. Isso é importante para Vender a ideia e para a gestão do negócio. Todo Empreendedor tem a obrigação de responder, e responder certo, estas 10 perguntas sobreo seu Negócio.
A Young Entrepreneur Council fez uma lista com 10 questões que todos os investidores querem saber do dono de um negócio.
Encarar um grupo de investidores é uma tarefa que exige muita preparação do empreendedor. Se ele quiser conquistar aquele aporte ou investimento para sua startup ou empresa, terá de responder com segurança a todas as dúvidas de seus inquisidores.
Não são perguntas fáceis. Qualquer deslize na explicação do negócio ou desconhecimento de algum detalhe da operação pode custar o tão sonhado capital. Para ajudar os empresários nesse momento de tensão, os diretores do Young Entrepreneur Council, uma associação mundial de…