Pular para o conteúdo principal

A Praça é do Povo


Imagem: Blog Voz da Mata Norte
A internet simplesmente não perdoa, ou seria o Whatsapp, ou em primeira instancia a “boca do Povo”? Independente do meio de comunicação, nos dias atuais, é impossível para uma agência de publicidade, poder se dar ao luxo de afirmar categoricamente que uma intervenção é “matadora”! Mesmo que tenha utilizado os seus melhores criativos, ter feito a melhor pesquisa, pois o que realmente importa é como as pessoas vão perceber e receber a mensagem.

Nem sempre o que imaginamos acontece. Na grande maioria das vezes, o resultado é bem diferente do proposto; a percepção é bem diferente da mensagem.  Muitas vezes, um tremendo fracasso acontece, simplesmente, porque “alguém acreditou que iria dar certo”.

Um bom exemplo disso é a “Praça do Frango”. Ou seria o “Relógio do Frango”? A dúvida que antecede a definição do caso é o que seria exatamente a intervenção criada na “Praça do Povo”. É um “Relógio com Publicidade” ou é uma “Publicidade com Relógio”. A única certeza que temos é que marca as horas, a temperatura e chama a atenção, muita atenção! Sua presença é tão gritante que quase dá para ouvir o seu cocoricó! O tão esperado Relógio chegou e mesmo durante a sua montagem a polêmica já o acompanhava.

Está formada a polêmica: meios de comunicação; enquetes; boca-a-boca; conversas de bar, restaurante e todos os tipos de estabelecimentos onde se aglomere mais de uma pessoa. A comunicação não para! Opiniões contra, opiniões a favor, ataques, defesas e uma unanimidade nas conversas reais e virtuais: o Frango. Aliás, o frango que é “muito mais frango”.  Nesse turbilhão de ideias algumas questões precisam ser levantadas para o bem e o futuro da Propaganda e Publicidade.

- Por qual lente (o imaginário de cada um) as pessoas estão interpretando a intervenção? Como cidadãos consumidores? Ou como correligionários?

- Qual a proposta da intervenção. Acima de qualquer bandeira, quais as condições da parceria do poder público x iniciativa privada?

- Teremos outras intervenções no mesmo estilo? Outros outdoors com publicidade e informações de utilidade pública?

- O que especificamente está chamando a atenção das pessoas? A figura do Frango? O exagero da mensagem escrita e “esculpida”? A falta de coerência entre Utilidade Pública e Publicidade?

- Como os responsáveis vão solucionar a polêmica? Retirando o Frango ou permitindo outras intervenções, usando o princípio da isonomia?

Se a Mauricéa pode outras Empresas também poderão colocar seu outdoors em outras praças, usando para isso o artifício da Utilidade Pública. Outdoors marcando horas e telefones úteis; ou ainda; horas e horários dos ônibus urbanos, et cetera e tal.

“Gosto não se discute” diz o dito popular. Para os realizadores da intervenção, deixo os questionamentos acima e alguns outros abaixo:

- Pensaram na possibilidade de que uma intervenção mal interpretada é difícil de consertar?

- Pensaram na possibilidade de executar a intervenção com transparência (projeto público), levando em consideração a opinião dos donos da praça: o Povo?

- Pensaram na possibilidade de homenagear um ícone popular ao invés de exaltar o Frango?

- Avaliaram a disposições dos donos da praça para interpretar e entender as pretensões dos realizadores da intervenção?

- Avaliaram o quanto é importante avaliar tanta coisa antes de realizar uma intervenção do porte do “Relógio do Frango” ou da “Praça do Frango”?

Espero que a polêmica seja resolvida; espero que o Frango não cresça, não crie vida e nos deixe dormir em paz. Só não espero que a “Floresta dos Leões” por isonomia se transforme na Floresta dos Outdoors!

- God save the chicken!!!



Vital Sousa
integrum Consultoria



Os Mais Lidos Da Semana!

A Cartilha do ABC

Há alguns dias li uma notícia, num site sobre empreendedorismo, que uma empreendedora havia alcançado sucesso em seu negócio com uma inovação: ela estava produzindo sapatos ao gosto do Cliente, isto é: customizados ou personalizados ou, ainda, taylor made – sob medida.
- Como é que é?! Inovação!? Mas quando!?
Sou do tempo que sapatos, roupas, chapéus, joias e outros acessórios e adornos eram confeccionados sob medida e encomenda dos Clientes, então, para mim, esta empreendedora não está inovando: está fazendo o que é bastante comum no mundo da moda: voltando ao passado; fazendo uma releitura de um processo de produção. Não vou me aprofundar neste “revival” calçadista, porque a leitura da noticia me inspirou a fazer minha própria “inovação”: uma Cartilha do ABC para ensinar empreendedores e varejistas o “bê-a-bá” da Gestão de Estoques, Vendas Clientes, Cobrança, Capital de Giro e o fundamental Fluxo de Caixa. A Cartilha do ABC é uma ferramenta gerencial que serve para isso e muito mais.
C…

O Sorriso do Coringa

Lá pela segunda metade dos anos 80, depois de um “papo cabeça” com um psicanalista, passei de “Yuppie Carrancudo” para “Grunge Sorridente”. Os colegas diriam que por culpa da crise dos trinta, eu, melhor dizendo, diria que "graças" à crise dos trinta. Aceitei o conselho do profissional recomendado para acompanhar algumas mudanças na vida pessoal e profissional. Na época o termo ainda não virara moda, mas passei por um processo de Coaching de Carreira. O conselho, segundo o profissional, deveria resolver metade dos meus problemas... WOW!!! Um conselho bastante tentador, impossível de não ser acatado, pelos resultados prometidos e também pela simplicidade:

- Sorria. Metade dos seus problemas vão sumir... Sorria!!!
À primeira vista o conselho era muito fácil de ser seguido, afinal quem não sabe sorrir, sorrir é algo natural, sorrir é o melhor remédio para tudo... Porque eu não havia pensado nisso antes? Precisei gastar uma grana preta para descobrir o óbvio? Ao invés de ficar zan…

10 Perguntas Demolidoras

Ter uma Excelente ideia não basta. É preciso saber vender o seu peixe, a qualquer momento que seja preciso. Todo Empreendedor tem a obrigação de conhecer o seu Negócio nos mínimos detalhes. Isso é importante para Vender a ideia e para a gestão do negócio. Todo Empreendedor tem a obrigação de responder, e responder certo, estas 10 perguntas sobreo seu Negócio.
A Young Entrepreneur Council fez uma lista com 10 questões que todos os investidores querem saber do dono de um negócio.
Encarar um grupo de investidores é uma tarefa que exige muita preparação do empreendedor. Se ele quiser conquistar aquele aporte ou investimento para sua startup ou empresa, terá de responder com segurança a todas as dúvidas de seus inquisidores.
Não são perguntas fáceis. Qualquer deslize na explicação do negócio ou desconhecimento de algum detalhe da operação pode custar o tão sonhado capital. Para ajudar os empresários nesse momento de tensão, os diretores do Young Entrepreneur Council, uma associação mundial de…