Pular para o conteúdo principal

Empreendimento Sem Fim



"Alguns homens veem as coisas como são,
e dizem 'Por quê?' Eu sonho com as coisas
que nunca foram e digo 'Por que não ?'"
[Bernard Shaw]


Tenho plena consciência de que tudo que passei e relato neste livro é uma ínfima porção da realidade da Transamazônica e da vida do seu povo, bem como uma ínfima parte do dia-a-dia dos meus companheiros de viagem: os Caminhoneiros.

A história da Transamazônica bem poderia ser um exemplar texto do realismo fantástico, digno de Gabriel Garcia Marquez. As Macondos se multiplicam às margens da BR - 230. As histórias e lendas sobre seus construtores e seus atuais habitantes são tão ricas que muitas delas mereceriam um livro à parte.

Conversando com o proprietário de um Posto de combustíveis, Ponto de Apoio de Caminhoneiros em Apuí (AM), consegui sintetizar toda a história da Transamazônica em uma única palavra: absurdo. A BR 230, a famosa Transamazônica, é um absurdo. Pelas milhares de vidas perdidas em sua construção e nos quarenta anos de acidentes de percurso; pelos investimentos públicos jogados igarapés abaixo; pela falta de comprometimento dos sucessivos governos, em todos os níveis, que só lembram desta obra inacabada em tempos de eleição; pelas possibilidades de riquezas não exploradas; pela exploração irregular da floresta... a lista de absurdos é infinita: infinita como a construção deste Sonho Fantástico.

Na reta final do percurso, um pensamento não sai da minha cabeça: a expressão “empreendimento sem fim” tornou-se um incômodo “grilo”. Desde o inicio do mapeamento de nossa Planilha, a frase foi usada de forma negativa, para descrever algo interrompido, inacabado, mas com o tempo, começou a ganhar outra acepção. Passou a dar significado para o ciclo de vida, a linha do tempo de tudo que estávamos construindo. A ideia da criação do i2 - instituto integrum era por si só a ideia de um “empreendimento sem fim”.

Não por acaso o a ilustração que encabeça cada capítulo deste livro é uma teia de aranha. De todos os símbolos relacionados com um Rally, que seria mais apropriado usar como ilustração, nenhum tem a “aderência” de uma teia de aranha que para mim representa a determinação necessária no empreendedorismo, além de ser, naturalmente, o símbolo de nosso objetivo maior: construir uma Rede Social, na acepção literal da expressão. O acaso, ou a conspiração do universo, se fez presente para definir a capa do livro, fechando o ciclo de fundamentação para o seu título e subtítulo: 50 Anos Em 05 – Empreendimento Sem Fim.
Quantas teias uma aranha tece durante sua vida? Quantas vezes ela reconstrói sua aparentemente frágil fonte de recursos e sustentabilidade? Não consigo imaginar respostas para estas perguntas, minha mente é imediatamente inundada pela lembrança de uma música da infância, bem apropriada para o momento que finalizo minha narrativa explicando as motivações para a escolha da ilustração que encabeça seus capítulos, bem como do para a escolha do título e da capa do livro...

“A dona aranha
Subiu pela parede
Veio a chuva forte
E a derrubou

Já passou a chuva
O sol já vai surgir
E a dona aranha
Continua a subir.”

Será que algum empreendedor, além de mim, identifica-se com a D. Aranha? Em especial com sua determinação e porque não dizer obstinação em subir pela parede? Eu sempre penso nessa aranha, a razão pela qual ela obstinadamente sobe pela parede. Lembro-me de 2 (dois) empreendedores que uso nas Palestras CHA Empreendedor: Soichiro Honda e Thomas Edson tão obstinados quanto D. Aranha. Minha conclusão é que o objetivo da aranha é colocar no alto da parede o primeiro nó de sua teia. Toda dificuldade da escalada para, apenas, começar sua tarefa: empreender.

Inicialmente a expressão “empreendimento sem fim” estava presente em toda discussão do Warm Up do Rally M+is – Transamazônica. Era a expressão favorita para descrever A Rota dos Atoleiros Amarelos. Sua ambiguidade deu o toque final para que eu pensasse nela como subtítulo e finalmente como título deste Diário de Bordo com pretensões de Manual de Empreendedorismo.

Quando descrevi no esboço do projeto a BR – 230, a famosa Transamazônica, usei esta expressão de forma negativa, afinal o que se espera da construção de uma estrada é que ela seja concluída, tenha fim, o que não aconteceu com a BR em questão. Por outro lado, “sem fim”, também, significa algo duradouro, sustentável, como espero que sejam os negócios de todos e cada um dos empreendedores para quem este livro puder, de alguma forma, tornar-se útil.


Espero que estes empreendedores e os simples leitores deste Diário sejam os nós para a teia, cuja construção iniciamos em 12-jan-2015, às 05:22.



[Sousa, Vital. Empreendimento Sem Fim. Recife, 2015]

Os Mais Lidos Da Semana!

PROCURA-SE: Consultor de Varejo

CONSULTOR DE VAREJO (CNPJ / MEI)  Para compor Equipe de Plataforma Omnicanal de Desenvolvimento Humano Organizacional , buscamos profissionais com Graduação em Administração e/ou Marketing com desejável Especialização em Finanças e Controladoria e/ou Gestão de Pessoas; COM ou SEM Experiência em Operação de Loja, mas com necessária experiência como Facilitador de Treinamentos Operacionais e Gerenciais.  O Profissional deverá compor o Quadro de Consultores da VTL Marketing, sendo co-responsável pelo desenvolvimento dos Treinamentos e Cosultorias na sua área de atuação.  Oferecemos Excelente Ambiente de Trabalho + Honorários + Comissões + Participação nos Lucros.  Perfil Empreendedor; Fã / Praticante de Rally; Espírito de Aventura e Disponibilidade para viagens de média (meses) duração no Norte / Nordeste são diferenciais que completam o Perfil dos Profissionais que buscamos.  Interessados deverão enviar Currículo para vtlmarketing4.0@gmail.com e destacar no assunto a área de a

Rally M+is - TransNordestina

Rally M+is -  TransNordestina (Suape, PE - Pecém, CE) "O Rally da TransformAÇÃO" Apresentação / Propósito: O Rally M+is em sua IV Edição – Rally M+is – TransNordestina – estará focando suas expertises no Varejo Alimentar: origem da proposta de trabalho da VTL Marketing . Suas atividades estarão focadas no desenvolvimento e/ou ampliação do relacionamento dentro da Cadeia de Suprimento, além da Qualificação de Empreendedores e Operadores e Varejistas para enfrentar a R-Evolução 4.0 ; para trabalhar com foco na nova realidade do Varejo e do Novo Consumidor Omnicanal. O que eu ganho com isso? - Consumidores: MELHOR Atendimento, Preço, Qualidade, Variedade e Conforto; - Varejistas: MAIS Qualificação, Vendas, Gestão e Rentabilidade; - Transportadoras : MAIS Embarques, Precisão, Rapidez, Pontualidade e Eficiência; - Distribuidores: MAIS Mix, Giro, Clientes, Rentabilidade e Liquidez; - Indústrias: MAIS Vendas, Previsibilidade e Rentabilidade! O Roteiro: Neste mom

FALA Varejista! PodCast.Sem35 - "Consistência"

FALA Varejista!  “A Consistência é superestimada: os dispersos herdarão a terra... Quem viver verá.”  Falar de Consistência me faz lembrar um pudim: uma delícia e uma excelente analogia para tratar deste tema...  Nos meios empresariais, a Consistência pode ser definida como um conjunto de resultados que satisfazem as expectativas das organizações em qualquer processo; é a coerência; a firmeza de ponto de vista; a persistência...  Para Empreendedores , principalmente os que empreendem por necessidade e todos que estão diante de uma dificuldade, uma crise, o conceito de Consistência não faz o menor sentido; É neste contexto que digo que a Consistência é superestimada...  Para estes Empreendedores, minha recomendação é que não esperem até alcançar a Consistência para fazer o que deve ser feito. Esperar não leva ninguém a lugar nenhum.  Em momentos de incertezas e necessidade de decisões rápidas, recomendo que Empreendedores e Gestores avaliem suas melhores competências e habilidades