Pular para o conteúdo principal

Com Fome, Eu não sou Eu


Lançada em 2010 nos EUA, a Campanha “Você não é você quando está com fome”, um conceito criado pela BBDO, para promover o chocolate (lanche) Snickers, já criou algumas polêmicas. O tema certamente tem panos para as mangas; dá asas à criatividade de marqueteiros ávidos por um bom disse-me-disse.

Dia desses, estava eu sentado na frente do meu almoço, às 14:00, azul de fome, pronto para atacá-lo, quando de relance avistei um Promotor de Vendas com uma blusa onde lia-se o tema da polêmica Campanha. Num flash, viajei para a Cordilheira dos Andes, no início da década de 70, quando com fome, abastados jovens, quase todos de famílias ricas e de classe média alta de Montevidéu, deixaram de ser eles mesmos; deixaram, pelas regras correntes da civilidade, de ser seres humanos e transformaram-se em bestas antropofágicas. Bem, a lembrança foi bem indigesta, mas a fome era grande e a comida estava mais apetitosa que meus pruridos éticos.

Saciar a fome é uma das mais primitivas necessidades do ser humano, uma questão de sobrevivência que sobrepuja qualquer ética. Não foi a busca pelo alimento, pela sobrevivência e o nosso padrão de alimentação que nos separou das bestas??? Com o magnífico desenvolvimento de nosso cérebro, da inteligência??? Inteligência muitas vezes deixada de lado quando a fome aperta. Difícil dizer se existe algo mais motivador que o alimento: saciar a fome. Ainda guardamos em nossos genes os perrengues da história da humanidade para encontrar o que comer ou, no caso, não ser comido. A fome e o seu antídoto, o alimento, estão presentes na nossa história desde uma prosaica Maçã. É algo tão essencial que já se perdeu a cabeça por causa de alguns meros Brioches.



Recentemente um dos comerciais da Campanha gerou mais uma polêmica. Na peça publicitária, pedreiros tecem elogios às mulheres na rua. Acostumadas com as cantadas grosseiras, beirando o assédio sexual, as mulheres se surpreendem e ficam encantadas as “cantadas” de cunho feminista. Os laboriosos trabalhadores gritam elogios como “Ei, querida. Tenha um dia adorável” e “Eu gostaria de te mostrar o respeito que você merece”, além de um improvável refrão gritado em uníssono pelos pedreiros: “O que nós queremos? Igualdade”. No entanto, no fim do anúncio, o mistério se desvenda e o slogan da campanha é lembrado: “Você não é você quando está com fome”. Afinal, o objetivo do vídeo é vender o chocolate Snickers. De todas as polêmicas levantadas, recordo com clareza de uma matéria do site Adweek questionando a ideia e retoricamente perguntando:

- “Então, se você está com fome você não é um canalha?”

A simples abstração de que a canalhice pode ser a salvação da nossa espécie me dá um arrepio na espinha. Meu almoço está esfriando, minhas anotações enchem meu bloco de notas e a minha fome me faz voltar a realidade. Eu preciso manter minha identidade. Com fome, Eu não sou Eu e em pouco tempo eu não serei nada: um saco de pele e ossos. E você está com fome? Você tem fome de que?

- Eu vou terminar meu almoço e de sobremesa comerei um... Snickers!!!



 Vital Sousa
integrum Consultoria

Os Mais Lidos Da Semana!

O Líder Situacional Sistêmico

Todos querem Comprometimento , todos querem Engajamento , todos querem colaboradores Motivados , todos querem Equipes de Alto Rendimento ... Mas, quantos se preocupam, verdadeiramente, com as Condições de Trabalho, com o Clima Organizacional, com as Pessoas Certas nos Lugares Certos, com Pessoas que pensam em Pessoas?  Acredito que os Resultados tenham a prioridade nesta lista de situações. Resultados como Objetivo e não como Consequência de um trabalho bem feito. Resultados pelos Resultados: simples assim. Não sou contra os Resultados, nem contra os que os buscam determinadamente, afinal eu estou entre eles. O Lucro não é um "Pecado". Mas, lembrando de um lugar comum, o único lugar em que o Resultado vem antes do Trabalho é no Dicionário. Se você quer Comprometimento, Engajamento, Motivação e uma Equipe de Alto Rendimento , "fora da curva", aprenda a Liderar. Aprenda a conviver com a Liderança Situacional Sistêmica . " Com talento, ganhamos partidas. Com &

10 Perguntas Demolidoras

Ter uma Excelente ideia não basta. É preciso saber vender o seu peixe, a qualquer momento que seja preciso. Todo Empreendedor tem a obrigação de conhecer o seu Negócio nos mínimos detalhes. Isso é importante para Vender a ideia e para a gestão do negócio. Todo Empreendedor tem a obrigação de responder, e responder certo, estas 10 perguntas sobreo seu Negócio. A Young Entrepreneur Council fez uma lista com 10 questões que todos os investidores querem saber do dono de um negócio. Encarar um grupo de investidores é uma tarefa que exige muita preparação do empreendedor. Se ele quiser conquistar aquele aporte ou investimento para sua startup ou empresa, terá de responder com segurança a todas as dúvidas de seus inquisidores. Não são perguntas fáceis. Qualquer deslize na explicação do negócio ou desconhecimento de algum detalhe da operação pode custar o tão sonhado capital. Para ajudar os empresários nesse momento de tensão, os diretores do Young Entrepreneur Council, uma as

BLITZ TQV - Qualidade Total no Varejo

Pesquisas de Satisfação são ótimos indicadores da qualidade de Produtos e Serviços. Melhor do que isto são os Guias de Críticos e Consultores que avaliam criteriosamente o Ponto de Vendas e Prestador de Serviços. Baseados nestas premissas, criamos a BLITZ TQV - Qualidade Total no Varejo , para divulgar Melhores Práticas no Varejo de Vizinhança - a famosa "Loja de Bairro" - de todos os segmentos, e garantir que Qualidade e Melhor Preço não sejam Propaganda Enganosa. A BLITZ TQV está focada em Pontos de Vendas que mereçam a nossa atenção como Referência em seu segmento de mercado, pela Excelência no Atendimento ao Cliente , que possam ser considerados como provedores de Excelentes Experiências de Compras , consideradas pela ótica dos seguintes parâmetros: Qualidade dos Produtos / Serviços, Conforto, Excelência no Atendimento ao Cliente, Conveniência (Proximidade) e Melhores Preços. Nossa avaliação será "in loco", com a utilização da