Pular para o conteúdo principal

Bala Perdida!!!

Passados vinte anos dede o lançamento do Plano Real e da estabilização da Economia, confesso que assisto aos Telejornais e vejo o recrudescimento da inflação com profunda preocupação.

Para quem não lembra ou não viveu este Evento, trago uma avaliação do Economista Joelmir Beting que sintetiza as razões para a implantação deste importante programa de reformas econômica:

Aqui jaz a moeda que acumulou, de julho de 1965 a junho de 1994, uma inflação de 1,1 quatrilhão por cento. Sim, inflação de 16 dígitos, em três décadas. Ou precisamente, um IGP-DI de 1.142.332.741.811.850%. Dá para decorar? Perdemos a noção disso porque realizamos quatro reformas monetárias no período e em cada uma delas deletamos três dígitos da moeda nacional. Um descarte de 12 dígitos no período. Caso único no mundo, desde a hiperinflação alemã dos anos 1920”.

Olhando esses números, fico imaginando o que deve estar pensando os milhões de novos gestores e empreendedores que ainda estavam nos cueiros quando a inflação campeava Brasil afora como um enorme paquiderme, ostentando índices inimagináveis para os dias de hoje.

Imagino os setores de Informes Gerenciais das grandes corporações queimando as pestanas e os processadores de última geração para montar cenários que permitam maiores níveis de previsibilidade na última linha dos Demonstrativos de Resultados. Por outro lado, imagino uma legião de novos Micro Empreendedores Individuais e Micro Empresários, sem os recursos da moderna TI – Tecnologia da Informação, dando voltas em gota d’água para manter positivo o Fluxo de Caixa. Em ambos os casos, descontados os efeitos da inflação e convertidos os demonstrativos para uma moeda constante, os balancetes traduzirão a realidade? Acredito que não. Acredito que estes novos gestores e empreendedores estão mais perdidos do que cego em tiroteio. Ou melhor dizendo: mais perdidos que balas de tiroteio. Sim balas, balas perdidas em rota de colisão não se sabe com o que.

Além do visível aumento de preço dos insumos e serviços e da consequente dificuldade de manutenção das margens de lucratividade, outro ponto que chama a atenção, para leitores mais atentos, é a profusão de cursos e treinamentos voltados à qualificação de gestores e empreendedores para o convívio com uma economia instável, com inflação de dois dígitos. “Gestão de Estoques para os Novos Tempos”. Novos Tempos? É assustador o revival deste título de work shop direcionado para gestores do Varejo. Me faz ouvir o barulho das etiquetadoras de preço de triste lembrança. “Gestão e Planejamento Financeiro em Tempos de Crise”; “Gestão de Custos e Planejamento Financeiro”. Os títulos dos treinamentos são de dar medo a qualquer empreendedor. Para os mais atentos soam como um alerta para redobrar a segurança nas planilhas de custos: é hora de reforçar e garantir as provisões.

Se você é Empreendedor e não está se achando neste texto, acredito que está na hora de fazer outro Curso bastante comum no portfólio de Empresas do ramo: “Contabilidade para Não Contadores”. Indo além na preocupação pela transparência das finanças dos novos gestores e empreendedores, sugiro um curso de “Glossário de Finanças em Tempos de Hiperinflação”. Conta Corrente Remunerada, Overnight, Float entre outras precisam rapidamente volta ao nosso vocabulário para garantir o poder aquisitivo de nossos ativos.

Neste momento, torna-se, estrategicamente, necessário o papel das entidades de Classe na promoção da união. Como diz o velho jargão do Associativismo, “a união faz a força”. Eu prefiro repetir o que já escrevi em outro artigo: “a união se faz à força”. No caso, à forma de muita mobilização porque os principais interessados encontram-se perdidos e não fazem a menor ideia do que os aguardam, no caso de continuarmos com a atual Política Econômica.

Para não sermos atingidos por balas perdidas, façamos nosso papel dentro da cadeia de informação do empreendedorismo. Isto posto, conclamo Associações de Classe para analisarem a criação de Câmaras Setoriais para discussão dos temas abordados neste artigo e para promover a necessária qualificação dos novos Gestores, Micro Empreendedores Individuais e Micro Empresários para conviver com a inflação de forma sustentável, sem jogar toda a carga de responsabilidade nas costas do Consumidor.   


Vital Sousa
integrum Consultoria


Os Mais Lidos Da Semana!

PROCURA-SE: Consultor de Varejo

CONSULTOR DE VAREJO (CNPJ / MEI)  Para compor Equipe de Plataforma Omnicanal de Desenvolvimento Humano Organizacional , buscamos profissionais com Graduação em Administração e/ou Marketing com desejável Especialização em Finanças e Controladoria e/ou Gestão de Pessoas; COM ou SEM Experiência em Operação de Loja, mas com necessária experiência como Facilitador de Treinamentos Operacionais e Gerenciais.  O Profissional deverá compor o Quadro de Consultores da VTL Marketing, sendo co-responsável pelo desenvolvimento dos Treinamentos e Cosultorias na sua área de atuação.  Oferecemos Excelente Ambiente de Trabalho + Honorários + Comissões + Participação nos Lucros.  Perfil Empreendedor; Fã / Praticante de Rally; Espírito de Aventura e Disponibilidade para viagens de média (meses) duração no Norte / Nordeste são diferenciais que completam o Perfil dos Profissionais que buscamos.  Interessados deverão enviar Currículo para vtlmarketing4.0@gmail.com e destacar no assunto a área de a

Rally M+is - TransNordestina

Rally M+is -  TransNordestina Suape (PE) - Pecém (CE) "O Rally da TransformAÇÃO" Propósito: O Rally M+is em sua IV Edição – Rally M+is – TransNordestina – estará focando suas expertises no Varejo Alimentar: origem da proposta de trabalho da VTL Marketing . Suas atividades estarão focadas no desenvolvimento e/ou ampliação do relacionamento dentro da Cadeia de Suprimento, além da Qualificação de Empreendedores e Operadores e Varejistas para enfrentar a R-Evolução 4.0 ; para trabalhar com foco na nova realidade do Varejo e do Novo Consumidor Omnicanal. O que eu ganho com isso? - Consumidores: MELHOR Atendimento, Preço, Qualidade, Variedade e Conforto; - Varejistas: MAIS Qualificação, Vendas e MELHOR Gestão e Rentabilidade; - Transportadoras : MAIS Embarques, Precisão, Rapidez, Pontualidade e Eficiência; - Distribuidores: MAIS Mix, Giro, Clientes e MELHOR Rentabilidade e Liquidez; - Indústrias: MAIS Vendas, Previsibilidade e MELHOR Rentabilidade! O Roteiro: N

10 Perguntas Demolidoras

Ter uma Excelente ideia não basta. É preciso saber vender o seu peixe, a qualquer momento que seja preciso. Todo Empreendedor tem a obrigação de conhecer o seu Negócio nos mínimos detalhes. Isso é importante para Vender a ideia e para a gestão do negócio. Todo Empreendedor tem a obrigação de responder, e responder certo, estas 10 perguntas sobreo seu Negócio. A Young Entrepreneur Council fez uma lista com 10 questões que todos os investidores querem saber do dono de um negócio. Encarar um grupo de investidores é uma tarefa que exige muita preparação do empreendedor. Se ele quiser conquistar aquele aporte ou investimento para sua startup ou empresa, terá de responder com segurança a todas as dúvidas de seus inquisidores. Não são perguntas fáceis. Qualquer deslize na explicação do negócio ou desconhecimento de algum detalhe da operação pode custar o tão sonhado capital. Para ajudar os empresários nesse momento de tensão, os diretores do Young Entrepreneur Council, uma as