Pular para o conteúdo principal

Spunch Plakt Zuum


Nos tempos da faculdade de Marketing, comprei briga com o Professor da Disciplina de Comportamento do Consumidor. A discussão tinha como objeto a Propaganda das Redes de Fast Food ou “Junk Food” como preferem / dizem alguns.

Minha posição era, e continua sendo, a defesa da livre expressão e da educação para esclarecer consumidores sobre eventuais danos pelo consumo de algum produto. O Professor defendia, intransigentemente, a proibição da venda desses alimentos para crianças e adolescentes, principalmente com comunicação voltada especificamente para eles. Descobri depois suas razões pessoais: uma filha que nascera com problemas no fígado e não podia comer gordura de espécie alguma.

Tema infantil é o que não falta na comunicação de Cadeias de Fast Food; os danos à saúde já são comprovados; a polêmica continua e minha opinião, também. Claro que entendo a posição pessoal do Professor, mas não posso defender uma posição baseada na censura da livre expressão e dos direitos universais à livre escolha.


Anos e muitas polêmicas depois, na última semana do ano, volto a avaliar esta discussão com um produto que vem fazendo “barulho” em todos os sentidos. Estou falando da Spunch, produto da Cereser que desde 2011, vem provocando reações adversas dos pais e crianças.

Para dar uma contextualizada no tema vamos repetir trechos de notícias nos periódicos nacionais:


“A Cereser começou a colocar nas prateleiras dos supermercados, pelo terceiro ano consecutivo, uma bebida para crianças que vem em garrafas idênticas às de champanhe, revestida com personagens do imaginário infantil. O produto, batizado de Spunch, faz espuma como o champanhe, mas não tem álcool. Apesar de ser descrito pela empresa como um inocente suco gaseificado (??) para a garotada brindar momentos especiais (??), está na mira da Defensoria Pública do Estado de São Paulo desde 2011.” Fonte: Estadão.com.br, 2013.

“A embalagem traz desenhos de personagens que atraem a atenção da garotada, como Princesas, Carros e Mickey. O gosto é de morango e não contém álcool. Mas o formato é idêntico ao dos espumantes, inclusive a rolha.

Lançado pela Cereser, em parceria com a Disney, o "spunch" — bebida gaseificada — gera polêmica entre gente grande. Em São Paulo, a Defensoria Pública pediu à empresa que recolhesse a mercadoria. No Rio, ela fica exposta entre as de teor alcoólico, num supermercado da Zona Norte.” Fonte: Extra.Globo.com, 2012.


No caso do Fast Food, temos um produto cujas características são vistas e bem visíveis para todos. Seus ingredientes e efeitos são de domínio público. Minha opinião, repito, continua a mesma. Mas o que dizer de um produto que se “disfarça” de outro. No meu tempo de faculdade diria que é um produto “parece, mas não é”. Neste caso, especificamente neste caso, revejo minha opinião para ampliar o viés da educação e do esclarecimento, bem como defender algumas modificações na embalagem e exposição do produto.

Concordo que a Cereser tenha o direito de criar o seu público, incentivar o consumo dos seus produtos. Isso atende a necessidade de evolução e sustentabilidade do negócio.

Discordo da forma. Recentemente vimos a proibição de produção e vendas de produtos que imitam cigarros. Penso que no caso da Spunch o princípio da isonomia deveria ser aplicado, pelo menos para criar modificações na embalagem do produto bem como regras de exposição. Se é um suco gaseificado, como diz a Cereser, deveria ser exposta com outras bebidas não alcoólicas e não ao lado de Espumantes como vem acontecendo na maioria dos Pontos de Vendas.


O Ponto culminante desta discussão é que toda cadeia de suprimento do produto deveria ser responsabilizada para EDUCAR e ESCLARECER o consumidor sobre este produto que “PARECE, MAS NÃO É”.


Vital Sousa
VTL Marketing

Comentários

Os Mais Lidos Da Semana!

O Líder Situacional Sistêmico

Todos querem Comprometimento , todos querem Engajamento , todos querem colaboradores Motivados , todos querem Equipes de Alto Rendimento ... Mas, quantos se preocupam, verdadeiramente, com as Condições de Trabalho, com o Clima Organizacional, com as Pessoas Certas nos Lugares Certos, com Pessoas que pensam em Pessoas?  Acredito que os Resultados tenham a prioridade nesta lista de situações. Resultados como Objetivo e não como Consequência de um trabalho bem feito. Resultados pelos Resultados: simples assim. Não sou contra os Resultados, nem contra os que os buscam determinadamente, afinal eu estou entre eles. O Lucro não é um "Pecado". Mas, lembrando de um lugar comum, o único lugar em que o Resultado vem antes do Trabalho é no Dicionário. Se você quer Comprometimento, Engajamento, Motivação e uma Equipe de Alto Rendimento , "fora da curva", aprenda a Liderar. Aprenda a conviver com a Liderança Situacional Sistêmica . " Com talento, ganhamos partidas. Com &

10 Perguntas Demolidoras

Ter uma Excelente ideia não basta. É preciso saber vender o seu peixe, a qualquer momento que seja preciso. Todo Empreendedor tem a obrigação de conhecer o seu Negócio nos mínimos detalhes. Isso é importante para Vender a ideia e para a gestão do negócio. Todo Empreendedor tem a obrigação de responder, e responder certo, estas 10 perguntas sobreo seu Negócio. A Young Entrepreneur Council fez uma lista com 10 questões que todos os investidores querem saber do dono de um negócio. Encarar um grupo de investidores é uma tarefa que exige muita preparação do empreendedor. Se ele quiser conquistar aquele aporte ou investimento para sua startup ou empresa, terá de responder com segurança a todas as dúvidas de seus inquisidores. Não são perguntas fáceis. Qualquer deslize na explicação do negócio ou desconhecimento de algum detalhe da operação pode custar o tão sonhado capital. Para ajudar os empresários nesse momento de tensão, os diretores do Young Entrepreneur Council, uma as

BLITZ TQV - Qualidade Total no Varejo

Pesquisas de Satisfação são ótimos indicadores da qualidade de Produtos e Serviços. Melhor do que isto são os Guias de Críticos e Consultores que avaliam criteriosamente o Ponto de Vendas e Prestador de Serviços. Baseados nestas premissas, criamos a BLITZ TQV - Qualidade Total no Varejo , para divulgar Melhores Práticas no Varejo de Vizinhança - a famosa "Loja de Bairro" - de todos os segmentos, e garantir que Qualidade e Melhor Preço não sejam Propaganda Enganosa. A BLITZ TQV está focada em Pontos de Vendas que mereçam a nossa atenção como Referência em seu segmento de mercado, pela Excelência no Atendimento ao Cliente , que possam ser considerados como provedores de Excelentes Experiências de Compras , consideradas pela ótica dos seguintes parâmetros: Qualidade dos Produtos / Serviços, Conforto, Excelência no Atendimento ao Cliente, Conveniência (Proximidade) e Melhores Preços. Nossa avaliação será "in loco", com a utilização da