Pular para o conteúdo principal

Bodega High Tech - 01 para 01



Longe se vai os dias de inauguração (1.916) da primeira loja de Auto-Serviço no mundo: a Piggly Wiggly. Mais "recentemente" (1.930) os dias do primeiro Supermercado: o King Kullen. Depois vieram os Hard Discount (Aldi), os Category Killers (Toys ‘U’ Us, Leroy Merlin), os Hipermercados (Carrefour), e finalmente os Warehouse Clubs (Sams Club, Costco).

Paralelo a esta evolução no formato do varejo, vivenciamos a Evolução do Marketing 1.0: mercado centrado no Produto, onde prevalecia a máxima de Ford: “Um carro pode ter qualquer cor, desde que seja preto.” - passando pelo Marketing 2.0: voltado para o Consumidor – para o Marketing 3.0: voltado para os Valores, cujo objetivo é fazer do mundo um lugar melhor, considerando um mercado de seres humanos com coração, mente e espírito, com uma proposição de valor funcional, emocional e espiritual e, finalmente, pelo menos até o próximo Big Show, chegando, finalmente, ao Marketing 4.0, a era da Transformação Digital, onde tudo faz parte o Big Data Digital.

A força propulsora deste novo Marketing, sem sombra de dúvida, é a tecnologia, com a mobilidade na berlinda, promovendo a evolução das interações com os consumidores de uma "transação um-para-um" para uma "colaboração de um-para-muitos", onde as Redes Sociais desempenham um importante papel na pulverização de expectativas e sensações envolvendo Marcas e Produtos. Experimente desagradar um Cliente e rapidamente verá sua Marca / Produto em virais, posts, tweets... Efeito nada agradável e nada fácil de contornar, com danos, muitas vezes irreparáveis, à imagem da Marca / Produto.

Neste cenário, o Atendimento ao Cliente no Ponto de Venda se reveste de uma importância estratégica para as Empresas que querem garantir sua viabilidade e sustentabilidade econômica, dentro dos novos padrões aceitáveis de produção e consumo responsáveis. As novas tendências do varejo, apresentadas, anualmente, nos Big Shows da NRF, apontam para a utilização da nova Onda da Tecnologia para oferecer aos Clientes uma Experiência Sensorial sem igual no ato da compra. Neste aspecto a Disney Store se destaca quando declara em sua Visão: “ser os 30 melhores minutos do dia de uma criança.” E basta entrar em uma dessas lojas para comprovar sensorialmente esta Visão.

Essa busca em atender bem, pelo Sensorial do Cliente, nos remete aos primórdios do Varejo quando cada item da lista de compras podia ser experimentado, discutido, analisado, considerando suas características, vantagens e benefícios, bem como a sua aplicação em diversas preparações (se ingrediente) ou uso em diversas situações (se produto final). Com estas considerações, entramos no túnel do tempo e estamos numa Mercearia, Bodega, Rancho ou Armazém onde um Atendente – geralmente o Dono do negócio – nos atende, um de cada vez, para as negociações envolvendo cada item de nossa cesta de compras.

Agora estamos na era do Auto-Serviço, da Alta Tecnologia e da Mobilidade e o Varejo Omnicanal se propõe a oferecer Experiências Sensoriais na compra de produtos e serviços. Pressionando a tecla "Enter" nos transportamos para uma "Bodega High Tech" onde a curva do tempo é desfeita e misturamos o Atendimento Personalizado com o pagamento das compras com o Celular num Auto Check Out.

Este é o grande desafio do Varejo neste e no próximo século: converter a fria tecnologia em ferramenta para oferecer um Atendimento Customizado, um Relacionamento 01 para 01, com os Clientes, dando a exata sensação de que são os únicos a serem atendidos naquele momento no ponto de vendas, físico, móvel ou virtual, confirmando a máxima de que ele ainda é o Rei, o Centro do Universo, Razão de Ser do Varejo.

Então... Atenção senhores Bodegueiros – no sentido clássico da palavra - de todos os tempos... É chegada a hora de retornar às origens do Atendimento, levando na bagagem uma parafernália tecnológica capaz de colocar cheiro em slide show de produtos. Capaz de fazer sentir, no provador, o vento no rosto de uma praia distante aonde se quer ir. Capaz de transformar, virtualmente, um Sonho em Realidade palpável.


Vital Sousa
Consultor de Negócios
VTL Marketing

Comentários

Os Mais Lidos Da Semana!

Arista - Até o Fim do Mundo

"Arista - Até o Fim do Mundo" é um Romance-Ficção Científica-Aventura; é, também, uma inquietante tentativa de responder as perguntas sobre as origens do que escrevo: as lembranças que afloram em minha mente e eu não sei precisar se são, realmente, lembranças ou sonhos ou delírios.  "Se os "nomes" ou "fatos", descritos, te fizerem lembrar de um lugar, uma pessoa, uma situação; se você experimentar uma sensação de déjà vu... Tenha certeza: você pode não ser a pessoa que pensa que é... Então, não perca tempo: deixe tudo que estiver fazendo e venha para Colina, Comuna de Sinnamary, Guiana Francesa, para iniciar a busca da sua verdadeira história... Procure-me no Hotel Concorde, Apto 201... Acredito ser Carlos Eduardo Romero" 100,0% dos Royalties deste Produto será destinado às Ações Sociais do i2: instituto integrum que atua na Formação e Qualificação de Operadores e Empreendedores Varejistas e na Promoção da Acessibilidade no Varejo de Produtos e

Motivação x Entusiasmo

"Nada de grandioso chegou, algum dia, a ser alcançado sem entusiasmo.” [Ralph Waldo Emerson] Mais um Work Shop, mais uma Palestra e a velha questão vem à tona: motivação. O que percebo, é que a grande maioria das pessoas está olhando, diariamente, para os céus à espera de instruções para seguir em frente. Há um verdadeiro eclipse do pensamento. As pessoas simplesmente desistiram de pensar e desta forma se sentem inteiramente perdidas, limitadas a garantir suas subsistências. Por outro lado, sempre que ouço uma solicitação de algum trabalho voltado à motivação do pessoal, fico com as orelhas em pé: quais as verdadeiras razões para a demanda? Há um real desejo de desenvolvimento das pessoas pelas pessoas ou trata-se apenas de uma demanda por mais produtividade? Mas esta é outra história. Inicialmente, vamos entender a diferença entre ‘motivação’ e entusiasmo (automotivação). Conforme sempre falo, a diferença entre motivação e entusiasmo fica explicitada em u

FALA Varejista! PodCast.Sem32 - "Orçamento Base Zero"

  FALA Varejista!  “O que você gasta, efetivamente, não é o seu dinheiro, mas o seu tempo de vida; faça valer a pena cada centavo; cada segundo.”  Já que estamos falando de “vida”, nesta transmissão, vamos inverter a lógica de dois processos na Gestão Financeira da Empresas: Custos por Investimentos e Orçamento de Custos por Orçamento Base Zero .  Cada centavo utilizado para garantir o pleno funcionamento de uma Empresa, deve ser considerado, não como custo, despesas, mas como investimento com origem, aplicação e resultados determinados; se um recurso, inclusive pessoas, não gera resultados, ele deve ser desconsiderado dos planos da Empresa... Com isso podemos ampliar os resultados e a qualidade de vida dos Empreendedores e seus Colaboradores.  Neste sentido, invertemos a lógica: deixamos de ter um Orçamento de Custos e passamos a utilizar o Orçamento Base Zero , isto é: cada dia é como se fosse o primeiro dia da Empresa e a principal função do Gestor é fazê-la funcionar com o menor