Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de 2014

Sonhos de Um Marketeiro

O Mundo do Marketing é uma "Fantástica Fábrica de Loucos"... Um mundo onde cada profissional acredita que tem a melhor ideia do universo. Neste "cenário", o grande desafio é definir um "target" para todos. Todos???!!! Estão percebendo o meu grau de loucura??? A cada "job" inicia-se outra guerra mundial. Acredito que Star Wars foi concebido a partir da vivência dos autores num ambiente de marketing. Para "facilitar" as coisas o Sonho de um Marketeiro, assim como de um jogador de futebol, é ter um "time" na família. Segue-se a Saga. Nada de disputas internas, nada de rivalidades, nada de egos inflados, nada de objetivos múltiplos... Neste ambiente a harmonia é soberana: família que trabalha unida, permanece unida. "O Ministério da Propaganda adverte: empresas familiares têm um alto índice de mortalidade no primeiro ano de vida." Esqueçam as falácias: isso é pura propaganda. Nada mais nada menos. O Sonho

Currículos Impactantes - 10 Modelos

Um Currículo bem feito pode ser o passaporte para a entrevista de emprego e, quem  sabe, para a nova oportunidade profissional. Quando mal elaborado, a sina pode ser oposta a este cenário. Para que você não peque, pelo menos, na estrutura desta espécie de cartão de visitas seletivo, a EXAME.com selecionou 10 Modelos de Currículos e 01 Carta de Apresentação oferecidos gratuitamente pelo Office. Dos modelos selecionados, há formatos para todos os gostos: desde exemplos que focam nas habilidades até modelos para profissionais que seguiram carreira acadêmica. É só conferir as dicas de cada exemplo, baixar o modelo, adaptar ao seu contexto e completar com suas informações. Fonte: Talita Abrantes, EXAME.com Veja Matéria completa em:  http://goo.gl/KyVX1Y

Preço Quebrado

Há práticas no Varejo que só podem ser entendidas pela ótica da má fé. A marcação dos chamados "Preços Quebrados" é uma delas.  Se a Moeda de R$. 0,01 deixou de ser produzida; Se sua Circulação é quase "invisível"; Então, porque o Comércio insiste em utilizar "Preços Quebrados", do tipo R$. 1,99??? A prática, mesmo que recorrente, é proibida. As lojas que se dispõem a praticar preços que não são "redondos" e não têm troco para entregar ao consumidor que paga em dinheiro vivo estão sujeitas a puniçõ es tanto pelo Código de Defesa do Consumidor (CDC) quanto pelo Código Civil. Pelo artigo 884 do Código Civil, elas podem ser enquadradas por Enriquecimento Ilícito . Se, por acaso, resolvem dar alguma guloseima ao consumidor como troco, tal ato pode configurar Venda Casada , conforme o artigo 39 do CDC. Quando não há troco, o correto é corrigir o valor para baixo. O ônus de garantir o valor correto em troco ao cliente é do vendedor

Associativismo no Varejo

“A união faz a força”. Essa máxima do Associativismo / Cooperativismo deu origem a uma discussão no Twitter sobre esta atividade no Varejo Alimentar - segmento onde proliferam Redes de Cooperação Empresarial, Cooperativas e Associações. Nos últimos anos, temos atuado nessa área em várias iniciativas. Contando com a experiência de Vendas e Atendimento a essas Redes, somamos mais de duas décadas de vivência com esses Players. Resumir o trabalho dessas duas décadas em alguns tweets, assim como oferecer uma receita definitiva para esta atividade seria impossível, mas registrei o que considero a matriz para o desenvolvimento de qualquer discussão sobre o tema. A ideia foi levantar alguns pontos estratégicos, tanto na constituição quanto na gestão das Associações, para fomentar reflexão sobre o tema e ampliar, com esses insights, um processo estruturado, um ponto de partida em brainstorms, para facilitar e objetivar futuras discussões sobre o tema. Manteremos o formato dos twe

Marketing Sensorial - Brand Sense

“Pescando” nas redes sociais, facilmente você pode encontrar um post desse tipo: “PÃO FRANCÊS com MANTEIGA e finas fatias de QUEIJO COALHO, levemente tostados na GRELHA, CAFÉ, passado na hora, com LEITE adoçado com AÇÚCAR MASCAVO... Desculpem: não deu tempo de fotografar... Delícias!!!” Normal. Essas postagens viraram uma verdadeira febre: uma legião postando seus quitutes e outra criticando e comentando essa exposição “desnecessária”. Mais normal ainda. Para quem curte as postagens e as delícias sugiro um teste: visualizem o Pão Francês da Panificadora Globo; a Manteiga Avião; o Queijo Coalho Betânia; a Grelha Arno; o Café Santa Clara; o Leite Vigor; o Açúcar Mascavo Vitao... Essas “Experiências Sensoriais” fazem parte do universo de cada Marca – é o chamado Brand Sense e com certeza fazem parte do universo de memórias de cada consumidor: dependendo da região que habitam, com algumas variações de Produtos e Marcas. Promover “Experiências Sensoriais” é a Tendência Super-Hipe

Apagão de Ideias!!!

Apagão de mão-de-obra é um assunto recorrente nos meios de comunicação e nas rodas de pessoas envolvidas com processos de Recrutamento & Seleção. No meio desta discussão, encontramos o que considero a maior contradição do meio corporativo: pagamento de Horas Extras para funcionários que participam de Cursos de Capacitação e Treinamentos fora do horário de expediente.   A Participação em Cursos de Capacitação e Treinamento oferecidos pela Empresa fora do expediente normal dá direito à hora extra?! Pode parecer um absurdo, mas este é o entendimento de parte da Justiça do Trabalho, o que vem gerando Polêmica nos tribunais pelo Brasil afora. De acordo com o Artigo 4º da CLT – Consolidação das Leis Trabalhistas – considera-se como serviço efetivo não só o tempo em que o empregado se encontra trabalhando, mas também o período à disposição do empregador, aguardando ou executando ordens. No caso específico do “período à disposição do empregador” para a participação de Cursos

Amarrando Cachorro com Linguiça

Centenas de quilômetros, cortando 4 Estados da Federação, separam a imagem ao lado: são dois extremos! 1 - Extremos da minha área de atuação como Consumidor / Consultor de Varejo; 2 - Extremos de descaso e falta de Fiscalização das autoridades Competentes e da falta de exigência/denúncia (concorrência desleal) dos estabelecimentos regularmente estabelecidos e dos Consumidores finais. Imagens como estas, antes de serem extremas pela precariedade das condições de exposição e manuseio dos alimentos, são extremamente comuns nas periferias de grandes centros urbanos e nas Cidades do interior. Dizem que é uma questão de "Cultura". Para mim é uma questão de Saúde Pública e por que não dizer um Caso de Polícia. Navegando no Twitter encontrei esta interessante nota de esclarecimento, sobre Merchandising, que estou colando abaixo para fazer preâmbulo a uma inquietante constatação sobre o tema. Vamos ler a nota e eu volto depois. "Merchandising – Depende da cultura de cada

O Custo do Lápis

Quando se fala em ética, um de seus maiores antônimos é a Lei de Gerson: “Levar vantagem em tudo. Certo?” Na outra ponta temos o que considero como melhor definição de ser ético: “Não faça aos outros, o que não quer que seja feito a você”. Ser ético é respeitar os limites; saber onde termina os seus direitos e começam os direitos dos outros. Esta abertura poderia ser encarada como um conselho. Assim, lembremos a máxima sobre esta situação: “Se conselho fosse bom não se dava, se vendia”. Mas não pretendo dar conselhos. Quero discutir o real valor de um conselho, tanto para quem pede, como para quem o oferece. Meu principal objetivo nesta discussão é fundamentar minha argumentação sobre a venda de conselhos, visto que minha atividade profissional é Consultoria. Sim, Consultores vendem conselhos; mas em qualquer atividade econômica, principalmente na prestação de serviços, sempre há quem queira levar vantagem; sempre há quem queira argumentar que algumas palavras não poderiam te

Vossa Excelência O Atendimento

Concluindo Ciclo de Palestras e Work Shops sobre Atendimento e Vendas, sempre me vem à mente uma série  de Notas que postei no Facebook sobre estes temas, considerando a proximidade da Copa de 2.014, mas, principalmente, a vocação natural para o Turismo em Capitais do Nordeste onde atuamos e algumas Cidades do interior, onde empreendedores mais "antenados" com as possibilidades e oportunidades da Copa, começam a se movimentarem em direção à qualificação de seus Empreendimentos. É uma grande satisfação estarmos contribuindo com este processo. Vamos às Notas: Recife, Natal e Fortaleza se preparam para serem Sedes da Copa do Mundo de 2.014. Analisando a qualidade do Atendimento no seguimento de Alimentos e Bebidas (Bares Restaurantes, Pizzarias, etc), recomendo aos turistas, que visitarem estas Cidades neste período, que tragam Marmitas !!! Isto se não quiserem ser coadjuvantes de situações Lamentáveis , protagonizadas por Atendentes e Garçons. O despreparo d

"Baleiando" na Hora do Almoço

Só para não perder o costume: tweetando enquanto aguardo o rango... QUEM DISSE QUE "GELO E LIMÃO" SÃO COMPULSÓRIOS AO SE PEDIR UMA COCA??? Quanto mais você trabalha na formação de ATENDENTES, mais você enxerga os VÍCIOS e PECADOS no Atendimento. ME SEGURANDO PARA NÃO ME TORNAR MAIS CHATO do que imagino ser para esses Atendentes!!! O MAIS INCRÍVEL é constatar: de um lado a EXTREMA NECESSIDADE DE CAPACITAÇÃO DOS ATENDENTES; de outro: a FALTA DE INTERESSE PARA APRENDER!!! ESSA apatia dos ATENDENTES, tem levado empresários a desconsiderar o INVESTIMENTO na capacitação. PESSOAL QUALIFICADO cada vez mais RARO!!! A cada PONTO DE VENDA ou PRESTADOR DE SERVIÇO, identificamos verdadeiros absurdos no Atendimento ao Cliente: começa com a FALTA DE EDUCAÇÃO dos ATENDENTES!!! Esperar um Atendimento, ao menos, CORDIAL, passa a ser uma EXPECTATIVA, quase sempre, frustrada! Em algumas lojas a sensação é de que ESTAMOS ATRAPALHANDO!!! Para provocar, pergunto ao garç

Quanto Vale um Cliente???

É possível calcular o valor de um Cliente considerando algumas variáveis de Produtos e Ponto de Venda. Também é possível conhecer quanto custa recuperar um Cliente. Pesquisas indicam que o custo de "recuperação" é DEZ VEZES MAIOR que o custo de "manutenção". Considerando a qualidade do Atendimento na maior parte do Varejo, é possível definir que a maioria dos Varejistas desconhecem esta relação, DEZ para UM, com seus Clientes. Desconhecem ou, simplesmente, não adotam nenhuma providência para reduzir os índices de perdas de Clientes e consequente perda de Faturamento. Os exemplos de Mau Atendimento são inúmeros. Vamos descrever um "Causo" que poderia ser relacionado como "Case" para retratar o título desta Nota: Quanto Vale um Cliente. Estive hoje na Loja da Fábrica de uma tradicional indústria de blusas de malha destinadas a Uniformes e Blusas Promocionais da qual sou Cliente Especial. Especial porque faço a intermediação de com