Pular para o conteúdo principal

Os Sete Pecados no Atendimento - Ignorância



O Pecado IGNORÂNCIA

Em todas as fontes de conhecimento sobre Atendimento ao Cliente, facilmente podemos encontrar textos sobre Clientes Difíceis, mas a mesma profusão não se encontra para textos sobre Atendentes Difíceis, pelo menos em lojas físicas - no atendimento de centrais telefônicas, textos sobre esses espécimes são bastante comuns. Essa situação decorre, talvez, em função de que o fato não mereça discussão, talvez porque este espécime seja tão desnecessário que desnecessário se faz discutir sobre o mesmo. Na prática, identificado, o espécime é imediatamente eliminado e ponto.

Difícil falar de ignorância no Atendimento ao Cliente e não lembrar o folclórico Seu Lunga. Sempre que alguém recebe um atendimento grosseiro, é provável que lembre a resposta irônica:

- Seu Lunga mandou lembranças!

Nada como inverter os papéis, não é verdade? Fazer com que usem a empatia; no mínimo, forçar uma reflexão por parte de quem atende de forma contrária ao bom senso. Vamos então inverter os papéis em algumas dicas de como tratar Clientes Difíceis para propor soluções para a questão do Pecado da Ignorância praticado por Atendentes e Empreendedores Difíceis. Recomendamos que estas dicas sejam transformadas em hábitos por aqueles que pretendem oferecer um atendimento minimamente cordial aos seus clientes.

A palavra “ignorância” admite algumas acepções. Neste texto, vamos entender como ignorância, a forma descortês e até mesmo grosseira com que clientes são tratados em alguns pontos de vendas onde os pecados no atendimento ao cliente parecem ser adotados como “diferenciais de qualidade”.  

Como hábito, vamos entender a predisposição para desenvolver Conhecimento (o Que e Porque fazer), Capacidade (Como fazer) e Vontade (Desejo de fazer) de Servir. Portanto, Excelência no Atendimento ao Cliente precisa ser entendida, além de um processo, como um hábito.

1 – Habitue-se a receber feedback
Não dá para imaginar que o Seu Lunga aceitaria de bom grado uma avaliação de seus clientes, mas é exatamente isso que propomos para Atendentes e Empreendedores Difíceis. Para convencê-los, vamos deixar para análise uma única informação: 89,0% dos clientes insatisfeitos, simplesmente não voltam ao ponto de vendas. Além disso, eles dizem a todos que conhecem para evita-lo.

2 – Habitue-se a receber reclamações
É bom desabafar. Então, habitue-se a ficar calmo e dar ao seu cliente a oportunidade de falar.  Não tente antecipar o que você considera como solução: isso vai tornar as coisas piores. Só depois de ter ouvido todos os sentimentos negativos é que os pontos positivos poderão ser avaliados.

3 – Habitue-se às confrontações
Ninguém acorda de manhã pensando que vai ter uma discussão com um cliente. O conflito é desconfortável para muita gente, mas por vezes o conflito é necessário para obtermos melhores resultados e um maior entendimento do cliente. Evitar um conflito não faz com que os problemas desapareçam. Estudos comprovam que quando um conflito fica bem resolvido, o cliente pode ficar ainda mais devoto do que seria se ele nunca tivesse tido um problema. Gerenciar bem os conflitos ajuda a criar confiança e credibilidade.

4 – Habitue-se a reparar os erros
Conhece a Lei de Murphy? Se existe a probabilidade de algo dar errado, algo irá dar errado. Por vezes não dá para prevenir, só remediar. Pergunte: como é que posso resolver esta situação? Muitas vezes os clientes pedem muito menos do que aquilo que nós pensamos. Tenha o melhor interesse deles em mente e irás ganhar a devoção dos seus clientes.



Todas as dicas nos levam ao início desta série de textos: aos tico-ticos do atendimento (O Pecado da APATIA) e a solução para o pecado da ignorância é habituar-se ao tico-tico do bem: o (empá)tico-(simpá)tico.


Vital Sousa
VTL Marketing

Comentários

Os Mais Lidos Da Semana!

Motivação x Entusiasmo

"Nada de grandioso chegou, algum dia, a ser alcançado sem entusiasmo.” [Ralph Waldo Emerson] Mais um Work Shop, mais uma Palestra e a velha questão vem à tona: motivação. O que percebo, é que a grande maioria das pessoas está olhando, diariamente, para os céus à espera de instruções para seguir em frente. Há um verdadeiro eclipse do pensamento. As pessoas simplesmente desistiram de pensar e desta forma se sentem inteiramente perdidas, limitadas a garantir suas subsistências. Por outro lado, sempre que ouço uma solicitação de algum trabalho voltado à motivação do pessoal, fico com as orelhas em pé: quais as verdadeiras razões para a demanda? Há um real desejo de desenvolvimento das pessoas pelas pessoas ou trata-se apenas de uma demanda por mais produtividade? Mas esta é outra história. Inicialmente, vamos entender a diferença entre ‘motivação’ e entusiasmo (automotivação). Conforme sempre falo, a diferença entre motivação e entusiasmo fica explicitada em u

Arista - Até o Fim do Mundo

"Arista - Até o Fim do Mundo" é um Romance-Ficção Científica-Aventura; é, também, uma inquietante tentativa de responder as perguntas sobre as origens do que escrevo: as lembranças que afloram em minha mente e eu não sei precisar se são, realmente, lembranças ou sonhos ou delírios.  "Se os "nomes" ou "fatos", descritos, te fizerem lembrar de um lugar, uma pessoa, uma situação; se você experimentar uma sensação de déjà vu... Tenha certeza: você pode não ser a pessoa que pensa que é... Então, não perca tempo: deixe tudo que estiver fazendo e venha para Colina, Comuna de Sinnamary, Guiana Francesa, para iniciar a busca da sua verdadeira história... Procure-me no Hotel Concorde, Apto 201... Acredito ser Carlos Eduardo Romero" 100,0% dos Royalties deste Produto será destinado às Ações Sociais do i2: instituto integrum que atua na Formação e Qualificação de Operadores e Empreendedores Varejistas e na Promoção da Acessibilidade no Varejo de Produtos e

Rally M+is - Transamazônica

"Falar é fácil, quero ver fazer!" Partindo de Cabedelo (PB) Quantas vezes você já ouviu esta frase, todas as vezes que você teve uma ideia inovadora; todas as vezes que você pensou em fazer algo, realmente, inovador, diferente? Quantas vezes diante, da descrença das pessoas, você vacilou e desistiu? Nós não desistimos! Amadurecemos nossa ideia até o ponto de ser colhida, até o ponto ideal para ser colocada em prática, até a hora de Agir! Nossa ideia pode até parecer uma completa loucura, uma insensatez, mas foi pensada e planejada nos seus mínimos detalhes: detalhes Bons e Ruins, Ações e Reações, Atitudes e Consequências, Forças e Fraquezas, Oportunidades e Ameaças, o Que, Onde, Porque, Quem, Como, Quando, Quanto... Planejamento concluído e exaustivamente testado e aprovado chegou a hora da Ação! Sem esquecer que a vida do Empreendedor é (ou, necessariamente, deveria ser) um eterno looping de PDCA: Planejar, Desenvolver, Controlar, Ajustar, Planejar...