Pular para o conteúdo principal

Crônica de um "Clienticídio" Anunciado


Sábado à tarde, passeando com minha esposa, quando começa a se apoderar dos meus pensamentos uma vontade louca de tomar café - mais precisamente uma “Média com Pão e Manteiga”: costume adquirido em minhas andanças pelo Reino dos Bandeirantes. Rapidamente ligo meu GPS natural para lembrar onde posso satisfazer esse desejo. Lembro uma cafeteria com nome bem sugestivo, que manterei em sigilo por motivos óbvios, que me remete aos sonhos... Sonhos de uma Média “que não seja requentada”!

Façamos uma pausa para explicar minha posição na cadeia alimentar: sou declaradamente viciado em café; consumidor assíduo dessa bebida e consultor de varejo. Atendimento, entre outras, é uma de minhas atividades mais frequentes na área de Desenvolvimento Humano. Por todos esses requisitos, me considero um “chato de galocha”.

Naturalmente, um crítico exigente, tão crítico e exigente quanto o Anto Ego (Ratatouille), porque mereço e exijo um atendimento adequado, afinal sou o cliente, afinal pago os salários de todos, em todos os estabelecimentos sejam públicos ou privados. Em minha defesa, declaro que costumo, disfarçadamente, orientar os atendentes para que prestem um atendimento minimamente aceitável.

Agora vamos ao “causo”: um “causo” de péssimo atendimento, um verdadeiro “clienticídio”...

Chegamos à dita cuja cafeteria, e iniciamos a busca por uma mesa desocupada, quando encontramos, ainda estava suja com os restos do lanche de outro cliente. Fincamos os pés próximos da mesa para “guardar o lugar” e esperamos um pouco para ver se aparecia algum atendente para limpar a mesa e nos recepcionar... ... ... 5 minutos... ... ... 10 minutos!!! Nada aconteceu!!! Diante da inércia dos atendentes que nos olhavam como se fossemos ET’s, tomei a iniciativa de transferir os restos mortais do lanche anterior para outra mesa que havia desocupado. Neste momento aparece uma garçonete que para concluir o meu serviço, pega a toalha da mesa por duas das pontas e balança no ar para jogar o restante das sujidades... ... ... “na chon”!!!

Neste momento anunciava-se o desastre. A atitude da garçonete lembrou o conhecido truque da Toalha de Mesa, que é mais engraçado quando dá errado. Neste momento a atitude aconselhável seria dar meia volta e procurar outro estabelecimento, mas... “virgem santa, que a vontade era tanta, que vontade que eu tinha”. E assim nos colocamos à disposição do nosso destino.

Descrever passo-a-passo este atendimento seria uma tortura, então, vamos, apenas, descrever como os produtos foram servidos e o caro leitor irá imaginar a forma como foram servidos.
- Pela primeira vez na vida vi uma garrafa de água mineral com a validade vencida;
- O café “expresso”, mais pela rapidez, com que foi tirado, do que pela tradução do italiano “espresso”, estava fraco, morno e ressaltava o gosto do leite em pó;
- O pãozinho foi tão achatado na chapa que mais parecia à pele de algum animal;
- No açucareiro tinha um festival de moscas...

As caras de poucos amigos dos atendentes não me deixaram esboçar qualquer reclamação. Sinceramente temi receber alguma reclamação por ter aparecido no local para atrapalhar o “descanso” deles. Finalmente a ficha caiu: eu estava no lugar errado e na hora errada.

Não tomei a minha média, o desejo passou, paguei a conta, recebi o troco errado, mas sobrevivi como consumidor para outra experiência. Naquele momento a cafeteria perdeu um cliente, na verdade cometeu um “clienticídio”!

Mais esperta foi minha esposa que preferiu tomar um suco em outra lanchonete!


[Sousa, Vital. Sorria, Eu sou O Cliente!]

Os Mais Lidos Da Semana!

Rally M+is - Transnordestina

O Rally
O Rally M+is em sua IV Edição – Rally M+is – Transnordestina – estará focando suas expertises no Varejo Alimentar: origem da proposta de trabalho da integrum Consultoria. Suas atividades estarão focadas no desenvolvimento / ampliação do relacionamento dentro da Cadeia de Suprimento e Qualificação de Operadores e Varejistas.
O que eu ganho com isso?
De início, a resposta à pergunta que, acreditamos, surgirá no momento inicial de nossa apresentação: do Consumidor à Indústria, os Benefícios Sistêmicos da maior Interação da Cadeia de Suprimento do Varejo Alimentar.
- Consumidores: MELHOR Atendimento, Preço, Qualidade, Variedade e Conforto; - Varejistas: MAIS Qualificação, Vendas, Gestão e Rentabilidade; - Transportadoras: MAIS Embarques, Precisão, Rapidez, Pontualidade e Eficiência; - Distribuidores: MAIS Mix, Giro, Clientes, Rentabilidade e Liquidez; - Indústrias: MAIS Vendas, Previsibilidade e Rentabilidade!
O Roteiro
O Percurso do Rally M+is – Transnordestina é um retorno às origens: queremos…

10 Perguntas Demolidoras (AP-InCo)

Ter uma Excelente ideia não basta. É preciso saber vender o seu peixe, a qualquer momento que seja preciso. Todo Empreendedor tem a obrigação de conhecer o seu Negócio nos mínimos detalhes. Isso é importante para Vender a ideia e para a gestão do negócio. Todo Empreendedor tem a obrigação de responder, e responder certo, estas 10 perguntas sobreo seu Negócio.
A Young Entrepreneur Council fez uma lista com 10 questões que todos os investidores querem saber do dono de um negócio.
Encarar um grupo de investidores é uma tarefa que exige muita preparação do empreendedor. Se ele quiser conquistar aquele aporte ou investimento para sua startup ou empresa, terá de responder com segurança a todas as dúvidas de seus inquisidores.
Não são perguntas fáceis. Qualquer deslize na explicação do negócio ou desconhecimento de algum detalhe da operação pode custar o tão sonhado capital. Para ajudar os empresários nesse momento de tensão, os diretores do Young Entrepreneur Council, uma associação mundial de…

De Volta ao Futuro! (AP II)

O Reveillon é um momento de luzes e cores: o branco da paz; o amarelo da prosperidade; o azul da harmonia; o verde da saúde; o laranja da vitalidade - esta deveria ser  a minha cor favorita; o vermelho da paixão... Um verdadeiro arco-íris de desejos e felicitações para um ano que se inicia, iluminado pelas luzes dos fogos de artifício e ao som do hit do dia: Vai Malandra!
No meio dessas "ondas" uma foto em preto e branco grita aos quatro ventos e aos quatro cantos da world wide web. Através de um post transversal nas redes sociais, alguém publica uma foto do fotógrafo Lucas Landau, que me conecta, imediatamente, com os versos de um hai kai...
"Pinto meu rosto Para me ver exposto, Sonhar em cores."
... Que, para mim, traduzem o "grito" do menino à beira mar com os olhos refletindo os fogos de artifício. Meu primeiro ímpeto é perguntar, como se ele me escutasse, "Você tem fome de que?"; "Você tem sede de que?" Porque você dá as costas à todas…