Pular para o conteúdo principal

Amarrando Cachorro com Linguiça



As imagens foram produzidas com autorização em
Canindé - CE (direita) e Carpina - PE (esquerda).
Centenas de quilômetros, cortando 4 Estados da Federação, separam a imagem ao lado: são dois extremos!

1 - Extremos da minha área de atuação como Consumidor / Consultor de Varejo;

2 - Extremos de descaso e falta de Fiscalização das autoridades Competentes e da falta de exigência/denúncia (concorrência desleal) dos estabelecimentos regularmente estabelecidos e dos Consumidores finais.

Imagens como estas, antes de serem extremas pela precariedade das condições de exposição e manuseio dos alimentos, são extremamente comuns nas periferias de grandes centros urbanos e nas Cidades do interior.

Dizem que é uma questão de "Cultura". Para mim é uma questão de Saúde Pública e por que não dizer um Caso de Polícia. Navegando no Twitter encontrei esta interessante nota de esclarecimento, sobre Merchandising, que estou colando abaixo para fazer preâmbulo a uma inquietante constatação sobre o tema. Vamos ler a nota e eu volto depois.

"Merchandising – Depende da cultura de cada lugar.

Muitos profissionais ainda têm dúvidas sobre o que quer dizer Merchandising. Segue uma boa definição:

“Merchandising é qualquer técnica, ação ou material promocional usado no ponto-de-venda que proporcione informação e melhor visibilidade a produtos, marcas ou serviços, com o propósito de motivar e influenciar as decisões de compra dos consumidores”

Uma área do Marketing que se responsabiliza pelo Merchandising é o Trade Marketing, onde as pessoas envolvidas têm muito trabalho com suporte na abertura de novos canais, elaboração de materiais para o  ponto de venda, eventos, e tudo mais.

Para trabalhar nessa área, um requisito que deverá ser exigido é que a pessoa tenha senso de estética, antes de ser um profissional se coloque no lugar do consumidor, esteja sempre atento ao varejo e visitar constantemente lojas que tenham a ver com sua área.

No entanto, cada país ou mesmo estado tem sua cultura e seu jeito de encarar isso! Nos EUA, o merchandising é levado muito a serio e como fator de decisão de compra.

No Brasil, essa prática está encaminhando e para isso os profissionais devem estar atentos às tendências do setor e do mercado, encantando o consumidor e o cliente com o aumento das vendas." Fonte: http://www.factumerchandising.com.br

Voltando, para tratar da questão inquietante:

Sempre que leio algo do gênero desta nota, com a qual concordo em parte, me remeto à minha infância, no tempo em que se amarrava cachorro com linguiça – dirão alguns. A constatação inquietante, a que me referi no início, é que a Cultura certamente interfere na forma de ver e trabalhar Merchandising, mas acredito, piamente, que devemos, em nome da Excelência no Atendimento ao Cliente, ir contra a Cultura estabelecida e recriar ou criar uma nova cultura, no que se refere à exposição de produtos, principalmente, perecíveis.

Retomando a expressão “amarrar cachorro com linguiça” para contextualizar a forma como, em nome da Cultura, são expostos produtos perecíveis – carnes e derivados – em feiras livres, açougues e frigoríficos de cidades do interior e nas periferias dos grandes centros urbanos. As imagens são calamitosas, um verdadeiro atentado à saúde publica. Mas nem por isso interfere no “merchandising” dos produtos que são vendidos livremente.

Isto nos remete a outro principio de exposição de produtos (merchandising) que diz: não há forma certa nem forma errada... a melhor forma é a que vende! Mas não devemos em nome da Cultura, negligenciar a qualidade e a sanidade do que se oferece aos clientes em qualquer parte do mundo e em qualquer tempo? 

Do tempo em que se amarrava cachorro com linguiça ao tempo em que o cachorro será um amontoado de chips. A cultura deve ser preservada, desde que não seja prejudicial aos consumidores. A responsabilidade sobre isso recai sobre quem está expondo e vendendo o produto.

Vital Sousa
integrum Consultoria

Os Mais Lidos Da Semana!

O Fator "Stoic Mujic"

“Enquanto se descansa, se carrega pedras”: este provérbio português é o tipo de frase feita que não sai da boca de um grupo de pessoas, entre as quais me incluo: os obstinados pelo que fazem, pelo trabalho. Estas pessoas são do tipo que nunca “desligam”. Não importa onde estejam, o que estejam fazendo; eles estão sempre “ligados”.
Numa sessão de vídeo caseira, com pipoca e guaraná, não seria diferente. Na última, vimos o filme “A Ponte dos Espiões”. “Bridge of Spies” em Inglês. Embora eu prefira, por razões que o leitor poderá ver no filme, o título em Alemão: “Der Unterhändler” que em língua tupiniquim que dizer “O Negociador”. É um excelente filme para ser usado em treinamentos sobre Negociação, com certeza usarei, mas o que mais me chamou a atenção foi a definição dada ao protagonista, interpretado por Tom Hanks. Um advogado bem sucedido de uma Empresa de Seguros. Vamos à uma breve sinopse do filme e voltamos para tratar do que interesse neste artigo, isto é: o "Fator Stoic M…

Varejo & Diversidade & Inclusão

“Falar de Diversidade não é sobre ‘coisas de viado’, é sobre ‘ser’ humano; reconhecer que ‘somos todos iguais, isto é: diferentes’.” 
Desde 1.999, na virada do milênio, trabalhamos com o conceito de Diversidade no Varejo. A partir de 2.007, com a fundação da integrum Consultoria, introduzimos o Processo de Desenvolvimento da Excelência no Atendimento à Diversidade Humana no escopo de nossa Proposta de Valor, mesmo quando nos avisavam, em tom de alerta, que poderíamos nos “queimar” com essa “conversa”, porque isso era, na época e ainda hoje, “coisa de viado”. 
Desde essa época nos apropriamos do slogan “somos todos iguais, isto é: diferentes” de uma Campanha da L’Oreal, linha Coiffeur. De lá para cá muita coisa mudou. 20 anos após nosso “despertar” sobre a questão da Diversidade no Varejo, vejo com orgulho as atenções voltadas para o termo “Inclusão” no Retail’s Big Show 2.019 da NRF - National Retail Federation dos United States of America. Yes! We are inclusive! Direto de New York, New…

PROCURA-SE: Consultor de Varejo

CONSULTOR DE VAREJO (FREELANCER - CNPJ / MEI)

Graduação em Administração e/ou Contábeis e/ou Psicologia, com desejável Especialização em Finanças e Controladoria e/ou Gestão de Pessoas e/ou Marketing; COM ou SEM Experiência em Operação, mas com necessária experiência como Facilitador de Treinamentos Operacionais e Gerenciais.
O Profissional deverá compor o Quadro Societário (Opcional) da integrum Consultoria, sendo co-responsável pelo desenvolvimento dos Treinamentos da sua área de atuação. 
Oferecemos Excelente Ambiente de Trabalho + Honorários + Comissões + Participação nos Lucros.
Empreendedor; Fã / Praticante de Esportes Radicais; Espírito de Aventura e Disponibilidade para viagens de média duração no Norte / Nordeste são diferenciais que completam o Perfil dos Profissionais que buscamos.
Interessados deverão enviar Currículo para sousa.vital@gmail.com e destacar no assunto a área de atuação: CONSULTOR DE VAREJO
Maiores informações com:

Vital Sousa integrum Consultoria +81 9 9851.6174 / 9 …